10 de dez de 2008

Racismo nos EUA leva duro golpe em 1988 (Mississipi em Chamas)

Jornal do Brasil: 11 de dezembro de 1964

O Departamento Norte-americano de Justiça anunciou que os 21 brancos acusados de envolvimento no assassinato de três ativistas dos direitos civis, na localidade de Neshoba, Mississipi, serão levados a um júri federal. Entre os acusados estavam um pastor, um xerife e o seu ajudante, identificados como membros da Ku Klux Klan, grupo racista que perseguia e matava os negros no EUA. O caso inspirou o filme "Mississipi em Chamas", de Alan Parker (1988) e causou indignação na população dos EUA.

As vítimas foram Michael Schwerner, 24, e Andrew Goodman, 20, ambos de Nova York, e James Chaney, 21, que vivia na cidade de Meridan, no Mississipi. Os três participavam de uma campanha pelo direito de voto dos negros no Sul dos EUA. 

Em junho, época de férias escolares, os três saíram para investigar uma denúncia de que a Klu Klux Klan havia espancado membros de uma igreja e em seguida incendiado o local. No caminho, policiais pararam o veículo deles e os prenderam por excesso de velocidade. 
Horas depois, os três foram libertados, mas o carro em que estavam foi perseguido por 20 membros da Ku Klux Klan, que, segundo a promotoria, eram liderados pelo pastor Edgar Ray Killen.

Os corpos dos três jovens, com sinais de espancamento e crivados de balas, foram retirados 44 dias depois de um açude, pelo FBI (polícia federal americana).
Em 1967, Killen foi absolvido pelo júri composto por brancos. Sete outras pessoas foram condenadas, mas nenhuma delas cumpriu pena maior que seis anos de prisão. Depois de 41 anos, Killen foi levado a novo julgamento e considerado culpado de assassinato não-intencional. 

Crime motivou lei contra o racismo
O caso serviu como base para o então presidente dos EUA Lyndon Johnson aprovar junto ao Congresso a Lei dos Direitos Civis, no mesmo ano. Os dispositivo proibia a discriminação em lugares públicos e autorizava o governo a processar qualquer estado que promovesse a segregação racial ou impusesse restrições raciais aos eleitores.

Antes da lei, filhos de negros não podiam estudar na mesma escola dos que os filhos dos brancos. Os passageiros negros só podiam ocupar os assentos dos fundos dos ônibus, além de ter que ceder seus lugares aos brancos em pé. Um homem negro poderia ser assassinado se olhasse ou conversasse com mulheres brancas.
**********************************************************************

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Blogs que me encantam!


..saia justa......† Trilha do Medo ♪....Blogueiros na Web - Ensinando o Sucesso no Blogger e Wordpress!..Emprego Virtual..Blog Ebooks Grátis....http://3.bp.blogspot.com/_vsVXJhAtvc8/ShLcueg5n2I/AAAAAAAACqo/sOQqVTcnVrc/S1600-R/blog.jpg..http://lh6.ggpht.com/_vc1VEWPuSmU/TN8mZZDF9tI/AAAAAAAAIJY/GWQU-iIvToI/banner-1.jpg....Divulgar textos | Publicar artigo....tirinhas do Zé........

Estatística deste blog: Comentários em Postagens Widget by Mundo Blogger

Safernet



FinderFox

LinkWithin

Blog Widget by LinkWithin