DIA NACIONAL DO BOMBEIRO

DIA NACIONAL DO BOMBEIRO
DIA NACIONAL DO BOMBEIRO - O Dia do Bombeiro Brasileiro é comemorado no dia 2 de julho. Esta data é uma homenagem a todos os heróis brasileiros que arriscam as suas vidas para proteger as pessoas, as cidades e as florestas do risco de incêndios, desastres naturais, desabamentos, etc. Além de apagar incêndios, os bombeiros também desenvolvem vários projetos sociais e educativos, com o objetivo de tentar melhorar a qualidade de vida da comunidade. Os bombeiros também ajudam a socorrer animais em perigo e auxiliar pessoas que enfrentam situações de grande stress, como tentativa de suicídio, afogamento, desaparecimentos e traumas provocados por acidentes. Dia do Bombeiro Brasileiro Origem do Dia do Bombeiro Brasileiro A escolha desta data é uma homenagem a criação do Corpo Provisório de Bombeiros da Corte, inaugurado em 2 de julho de 1856, no Rio de Janeiro, e sob o comando do major João Batista de Morais Antas. Oficialmente, o Dia do Bombeiro Brasileiro foi instituído através do Decreto nº 35.309, de 2 de abril de 1954. A partir desta mesma lei, também foi definido a realização anual da Semana de Prevenção Contra Incêndios. Antigamente, antes do Imperador D. Pedro II assinar o Decreto Imperial nº 1.775 que regulamentava o serviço de bombeiros, o badalar dos sinos era sinal de que homens, mulheres e crianças tinham que formar uma fila no poço mais próximo e assim, passarem baldes de mão em mão até chegarem ao local do incêndio.

quarta-feira, 14 de janeiro de 2009

Hamas anuncia que aceita cessar fogo "em princípio" (leia notícia direto de Israel)

Postei abaixo uma cópia retirada diretamente do website do jornal israelense The Jerusalem Post dando conta que um cessar fogo pode estar próximo. Não é nada, não é nada, não é nada mesmo. 

Pessoalmente não acredito que Israel amenize sua ofensiva antes de Barack Obama tomar posse e "pedir" um cessar fogo ao seu governo. Não acredito que o partido político no poder em Israel (Kadima) e às vésperas de uma eleição vá perder essa oportunidade de "inflar" o balão do governo de Obama logo no início e de quebra dar a Hillary Clinton esse enorme prêmio de "boas vindas" à política internacional. 

Infelizmente é assim que se movimentam as peças nesse tabuleiro de xadrez movido a interesses inconfessáveis dos seus reis, rainhas, torres e bispos. É um palpite, uma aposta. O vetor político é muito forte nesse "pogrom" da Faixa de Gaza. 

Não foi à toa que os ataques israelenses começaram no vácuo de poder da transição presidencial norte-americana e as nações ocidentais - ONU inclusive - nada fazem de efetivo para paralisar a mortandade que torna a Faixa de Gaza um açougue de carne humana.

De qualquer forma é uma esperança. Torço para que seja de verdade. Para quem estiver interessado ai está a cópia e os links para acesso ao jornal que está no olho do furacão e serve de fonte para quase toda a imprensa internacional a respeito dessa insânia entre Israel e palestinos do Hamas.

A seguir uma tradução tosca do primeiro parágrafo da notícia publicada abaixo:

"Hamas anunciou nesta quarta-feira que havia aceitado a iniciativa egípcia para Gaza de um cessar-fogo "em princípio" e que está agora à espera da resposta de Israel. 

O anúncio foi feito depois de uma delegação Hamas haver concluído dois dias de uma maratonade  conversações com representantes do Serviço de Inteligência Geral egípcio no Cairo."

Jan 14, 2009 18:37 | Updated Jan 14, 2009 23:18

Hamas accepts Gaza cease-fire initiative 'in principle'

By KHALED ABU TOAMEH, HERB KEINON AND YAAKOV KATZ 

Hamas announced on Wednesday that it had accepted the Egyptian initiative for a Gaza cease-fire "in principle" and that it was now waiting for Israel's response.

A member of the Hamas...

A member of the Hamas delegation, Salah el-Bardaweel, talks during a press conference in Cairo on Wednesday.
Photo: AP

SLIDESHOW: Gaza op, Day 19

The announcement came after a Hamas delegation concluded two days of marathon talks with representatives of the Egyptian General Intelligence Service in Cairo.

Hamas denied reports in the Egyptianmedia to the effect that it had acceptedthe Egyptian initiative unconditionally.

Sources close to Hamas said that while some progress had been achieved in the talks, it was premature to talk about a cease-fire agreement.

They said that the Egyptians put heavy pressure on the Hamas officials and even threatened them against rejecting the initiative.

"There are still some sticking points," the sources said. "We still haven't reached an agreement over the length of the proposed cease-fire and the future of the border crossings into the Gaza Strip."

They said that Hamas was prepared to accept a short-term cease-fire with Israel, while the Egyptians were pressing for a long-term truce.

Hamas, the sources explained, is also insisting on playing a role in the management of the border crossings, particularly the Rafah terminal. The Egyptians want to hand over the terminal to forces loyal to Palestinian Authority President Mahmoud Abbas, that used to run the border crossing until they were kicked out by Hamas in 2007. [...] (continue lendo a reportagem clicando aqui)

 

Nenhum comentário:

Postar um comentário