DIA NACIONAL DO BOMBEIRO

DIA NACIONAL DO BOMBEIRO
DIA NACIONAL DO BOMBEIRO - O Dia do Bombeiro Brasileiro é comemorado no dia 2 de julho. Esta data é uma homenagem a todos os heróis brasileiros que arriscam as suas vidas para proteger as pessoas, as cidades e as florestas do risco de incêndios, desastres naturais, desabamentos, etc. Além de apagar incêndios, os bombeiros também desenvolvem vários projetos sociais e educativos, com o objetivo de tentar melhorar a qualidade de vida da comunidade. Os bombeiros também ajudam a socorrer animais em perigo e auxiliar pessoas que enfrentam situações de grande stress, como tentativa de suicídio, afogamento, desaparecimentos e traumas provocados por acidentes. Dia do Bombeiro Brasileiro Origem do Dia do Bombeiro Brasileiro A escolha desta data é uma homenagem a criação do Corpo Provisório de Bombeiros da Corte, inaugurado em 2 de julho de 1856, no Rio de Janeiro, e sob o comando do major João Batista de Morais Antas. Oficialmente, o Dia do Bombeiro Brasileiro foi instituído através do Decreto nº 35.309, de 2 de abril de 1954. A partir desta mesma lei, também foi definido a realização anual da Semana de Prevenção Contra Incêndios. Antigamente, antes do Imperador D. Pedro II assinar o Decreto Imperial nº 1.775 que regulamentava o serviço de bombeiros, o badalar dos sinos era sinal de que homens, mulheres e crianças tinham que formar uma fila no poço mais próximo e assim, passarem baldes de mão em mão até chegarem ao local do incêndio.

sábado, 17 de janeiro de 2009

Começa o bombardeio de Bagdá,pelos EUA, transmitido ao vivopela CNN (Guerra do Golfo - 1971)

Jornal do Brasil: guerra do Golfo

Um ataque aéreo contra Bagdá deu início à Guerra do Golfo. Os Estados Unidos haviam articulado uma coalizão com 33 países, que juntos atacariam o Iraque. Mais de meio milhão de soldados das nações aliadas foram para a região. O resultado foi a morte de 100 mil soldados e 6 mil civis iraquianos, além de 30 mil kuwaitianos, contra 293 baixas entre as tropas da coalizão. 
A Guerra do Golfo foi a primeira da história a ser transmitida ao vivo pela TV. Os 45 jornalistas confinados no hotel descreviam os primeiros bombardeios para cerca de 100 milhões de pessoas em 100 países. Os ataques duraram toda aquela madrugada.
O confronto começou quando Saddam Hussein, então presidente do Iraque, acusou o Kuwait de vender o petróleo a preços muito baixos, o que estaria causando prejuízo à economia iraquiana. Saddam também exigiu que o Kuwait perdoasse uma dívida de US$ 10 bilhões contraída durante a guerra contra o Irã e que pagasse uma compensação de US$ 2,4 bilhões por ter extraído petróleo dos campos fronteiriços de Rumalia. Como as reivindicações não foram atendidas, Saddam resolveu invadir o Kuwait e anexá-lo ao seu território. O objetivo do líder iraquiano era ampliar o seu domínio, incorporar os poços de petróleo do país vizinho e facilitar o acesso ao Golfo Pérsico. 

A anexação do Kuwait fez os preços do petróleo subirem e provocou o racionamento de combustíveis em vários países, inclusive no Brasil. A ONU condenou a ação iraquiana e impôs embargos comerciais àquele país, além de dar um prazo para a retirada dos soldados iraquianos do Kwait. Saddam desprezou as advertências e em janeiro o Conselho de Segurança da ONU autorizou os EUA e seus aliados a invadirem o Iraque. 

Novas tecnologias de guerra
Os gastos com a guerra chegaram a US$ 61 bilhões. Pela primeira vez foram usados tanques e outros veículos blindados com detectores de radiação infravermelha e sensores capazes de ampliar a luz das estrelas. A arma mais sofisticada foi o avião americano F-117, o caça invisível, projetado para não ser captado pelo radar inimigo.
O Iraque foi derrotado em fevereiro, mas antes de retirar-se do Kuwait destruiu poços de petróleo e despejou óleo no mar. 
Nos meses seguintes ao fim da guerra, Saddam sufocou rebeliões de xiitas e curdos, que tentaram derrubá-lo.
***********************************************************************

Nenhum comentário:

Postar um comentário