DIA NACIONAL DO BOMBEIRO

DIA NACIONAL DO BOMBEIRO
DIA NACIONAL DO BOMBEIRO - O Dia do Bombeiro Brasileiro é comemorado no dia 2 de julho. Esta data é uma homenagem a todos os heróis brasileiros que arriscam as suas vidas para proteger as pessoas, as cidades e as florestas do risco de incêndios, desastres naturais, desabamentos, etc. Além de apagar incêndios, os bombeiros também desenvolvem vários projetos sociais e educativos, com o objetivo de tentar melhorar a qualidade de vida da comunidade. Os bombeiros também ajudam a socorrer animais em perigo e auxiliar pessoas que enfrentam situações de grande stress, como tentativa de suicídio, afogamento, desaparecimentos e traumas provocados por acidentes. Dia do Bombeiro Brasileiro Origem do Dia do Bombeiro Brasileiro A escolha desta data é uma homenagem a criação do Corpo Provisório de Bombeiros da Corte, inaugurado em 2 de julho de 1856, no Rio de Janeiro, e sob o comando do major João Batista de Morais Antas. Oficialmente, o Dia do Bombeiro Brasileiro foi instituído através do Decreto nº 35.309, de 2 de abril de 1954. A partir desta mesma lei, também foi definido a realização anual da Semana de Prevenção Contra Incêndios. Antigamente, antes do Imperador D. Pedro II assinar o Decreto Imperial nº 1.775 que regulamentava o serviço de bombeiros, o badalar dos sinos era sinal de que homens, mulheres e crianças tinham que formar uma fila no poço mais próximo e assim, passarem baldes de mão em mão até chegarem ao local do incêndio.

segunda-feira, 26 de janeiro de 2009

Como manter seu emprego durante a crise (parte IV)

9 - É hora de voltar às aulas

Cursos universitários, treinamentos específicos e aprendizado de idiomas já eram importantes e vão se tornar ainda mais. “Se você não cuidou do cérebro, chegou a hora de tentar recuperar o tempo perdido”, diz Minarelli. “Talento pode até ser um dom natural, mas para ele ser aplicado com sucesso requer esforço. Os estudos devem ser encarados como hora extra, cujo pagamento virá no longo prazo, no emprego atual ou no próximo”.




10 - Estique as antenas

Nos tempos de bonança, o foco é importante. Concentrar-se no que está dando certo e extrair o máximo de resultados dali. “Agora não é hora do foco, mas sim de abrir as antenas 360 graus. Olhar para fora, tentar entender a situação e transcender os limites de sua especialidade”, diz Motomura. Isso significa falar com gente de ramos totalmente diferentes, dentro e fora da empresa, consultar clientes e fornecedores, interessar-se por áreas novas, ler artigos, exercitar a curiosidade – e tentar fazer conexões com o mundo que você conhece.




11 - Entre no time das soluções

Você deve encarar a crise como uma chance de valorizar seu trabalho. Pressionadas pela desaceleração econômica, as empresas estão abertas a sugestões criativas para o negócio. Para isso, é importante estar antenado. Por que não procurar novos clientes em segmentos ainda não explorados (leia a história de Marcelo Cuellar abaixo)? Ou uma redistribuição das funções em seu setor compatíveis com as novas prioridades da empresa? “Pessoas que trazem para a discussão fatores que realmente importam são sempre bem-vindas”, diz Vicky. “Os sujeitos negativo, pessimistas, ·deprimidos, é o pior perfil possível”, diz o empresário paulista, que demitiu 500 pessoas. “A gente precisa, nessas horas, de um cara prático, otimista, que, em vez de reclamar, tenta achar soluções”.

.
RICARDO CORRÊA
“Temos de olhar para a frente”

No fim do ano passado, a Michael Page do Brasil, empresa de recrutamento de executivos, preparava-se para demitir 20 de seus 155 funcionários. Nesse momento, o administrador de empresas Marcelo Cuellar, de 32 anos, foi promovido. Após um ano e meio de trabalho como consultor sênior da Divisão de RH, Cuellar virou gerente da equipe. Nos meses anteriores, ele antecipara que a crise mudaria o perfil dos profissionais de RH requisitados pelos clientes. “Nos tempos de forte crescimento econômico, a demanda era por profissionais da área de seleção. Com a chegada da crise, o foco mudou para a área de remuneração”, diz Cuellar. Essa percepção rápida ajudou sua divisão a manter os resultados positivos da Michael Page no último trimestre, quando a crise em seu setor começou. “Ele usou a dificuldade para gerar oportunidade, além de demonstrar resiliência e alta capacidade para atrair novos relacionamentos”, afirma Marcelo de Lucca, diretor-executivo da empresa. Cuellar já prepara um novo plano para a sua divisão, a ser implementado em breve. “Temos de olhar para a frente, sempre”, diz. (continua)

Nenhum comentário:

Postar um comentário