DIA NACIONAL DO BOMBEIRO

DIA NACIONAL DO BOMBEIRO
DIA NACIONAL DO BOMBEIRO - O Dia do Bombeiro Brasileiro é comemorado no dia 2 de julho. Esta data é uma homenagem a todos os heróis brasileiros que arriscam as suas vidas para proteger as pessoas, as cidades e as florestas do risco de incêndios, desastres naturais, desabamentos, etc. Além de apagar incêndios, os bombeiros também desenvolvem vários projetos sociais e educativos, com o objetivo de tentar melhorar a qualidade de vida da comunidade. Os bombeiros também ajudam a socorrer animais em perigo e auxiliar pessoas que enfrentam situações de grande stress, como tentativa de suicídio, afogamento, desaparecimentos e traumas provocados por acidentes. Dia do Bombeiro Brasileiro Origem do Dia do Bombeiro Brasileiro A escolha desta data é uma homenagem a criação do Corpo Provisório de Bombeiros da Corte, inaugurado em 2 de julho de 1856, no Rio de Janeiro, e sob o comando do major João Batista de Morais Antas. Oficialmente, o Dia do Bombeiro Brasileiro foi instituído através do Decreto nº 35.309, de 2 de abril de 1954. A partir desta mesma lei, também foi definido a realização anual da Semana de Prevenção Contra Incêndios. Antigamente, antes do Imperador D. Pedro II assinar o Decreto Imperial nº 1.775 que regulamentava o serviço de bombeiros, o badalar dos sinos era sinal de que homens, mulheres e crianças tinham que formar uma fila no poço mais próximo e assim, passarem baldes de mão em mão até chegarem ao local do incêndio.

quarta-feira, 28 de janeiro de 2009

Briga de Mulheres! No mundo corporativo...



"Achei" este texto no suplemento com artigos selecionados do New York Times que a Folha de São Paulo publica todas as segundas feiras. A autora, uma profissional de RH, coloca um assunto dos mais fascinantes para quem estuda os comportamentos pessoais restrito ao mundo das empresas. Falo das disputas e “duelos” - sempre presentes - entre mulheres que estejam nas mesmas corridas pelos espaços corporativos.

Dou meu testemunho sobre algumas delas que presenciei, na posição privilegiada de diretor, entre colegas mulheres. São sutis, ao contrário das disputas masculinas. São insidiosas e cheias de filigranas e armadilhas comportamentais.

Vou-lhes dizer e sem medo de errar. Nunca entre numa disputa "mano-a-mano" com uma mulher que esteja na mesma corporação e no seu mesmo nível de hierarquia. Existe 99,9% de você perder. Entretanto a abordagem feita pela autora do artigo é um pouco diferente. Está mais voltada para a conquista do "power of women" nas empresas.

Recomendo o texto principalmente às mulheres e que estejam em funções executivas ou candidatas à carreira. Vale a leitura para que possam fazer suas reflexões a respeito desse tema muito pouco tocado nos artigos sobre o mundo corporativo. Eu gostei muito.”


Folha de S.Paulo
.

Nenhum comentário:

Postar um comentário