31 de ago de 2008

Confusão armada! Supremo foi grampeado pela ABIN; e agora?

Pronto! O assunto que vai dominar o noticiário político da semana, no Brasil, já está posto na mesa. Ou melhor "na mesa dos grampos telefônicos".
A revista Veja deu um tremendo "furo de reportagem" ao publicar um diálogo entre o Ministro Gilmar Mendes, presidente do Supremo Tribunal Federal e o senador Demóstenes Torres. Fruto (podre) de um (pretenso) vazamento na ABIN, a gravação confirma o que se suspeitava ou seja, profissionais da Agencia Brasileira de Informações faz grampos ilegais. E se esta turma tem a ousadia de colocar escutas até no chefe de um dos poderes da República a pergunta é "qual o limite?".
O fato vai gerar (na verdade, já está em andamento) uma crise institucional sem precedentes no país. Já se noticia, para amanhã - segunda feira - uma reunião entre os presidentes dos dois poderes envolvidos (por enquanto), o Executivo e o Judiciário. Não acredito que a crise possa ser detida facilmente. É muito grave. Os "bombeiros" não vão faltar, mas os "incendiários" estão de plantão e com as tochas na mão. Não fosse trágico, seria cômico. Mais parece um filme daqueles, pastelão legítimo, dos antigos três patetas. Mas, infelizmente para o Brasil e a democracia, é verdade.
Vou acompanhar o caso com aquela nossa lupa mágica. Sim, aquela! A que coloca os fatos do universo político na tela do mundo corporativo. Perguntas que não vão calar: Foi a ABIN? Ou foi alguém que trabalha na agência? Se foi uma operação oficial, quem teve a idéia e quem autorizou? Quais as razões (ocultas) para a decisão? Na cadeia da hierarquia até que nível a operação era conhecida? E muitas outras questões que serão examinadas. Portanto, atenção ao noticiário pois - como se diz lá no Nordeste, "a cobra vai fumar".
Abaixo estão as imagens da reportagem da Veja, inclusive o fatídico diálogo, e o link direto para a página da revista, com a íntegra da mátéria. Parabéns à Veja pelo "furo" jornalístico. Esse vai correr o mundo e fazer história, não tenham dúvidas.

"Há três semanas, VEJA publicou reportagem revelando que o presidente do Supremo Tribunal Federal, ministro Gilmar Mendes, foi espionado por agentes a serviço da Agência Brasileira de Inteligência. O diretor da Abin, Paulo Lacerda, foi ao Congresso e negou com veemência a possibilidade de seus comandados estarem envolvidos em atividades clandestinas. Sabe-se, agora, que os arapongas federais não só bisbilhotaram o gabinete do ministro como grampearam todos os seus telefones no STF. VEJA teve acesso a um conjunto de informações e documentos que não deixam dúvida sobre a ação criminosa da agência. O principal deles é um diálogo telefônico de pouco mais de dois minutos entre o ministro Gilmar Mendes e o senador Demóstenes Torres (DEM-GO), gravado no fim da tarde do dia 15 de julho passado. A conversa, reproduzida na página anterior, não tem nenhuma relevância temática, mas é a prova cabal de que espiões do governo, ao invadir a privacidade de um magistrado da mais alta corte de Justiça do país e, por conseqüência, a de um senador da República, não só estão afrontando a lei como promovem um perigoso desafio à democracia.
O diálogo entre o senador e o ministro foi repassado à revista por um servidor da própria Abin sob a condição de se manter anônimo. O relato do araponga é estarrecedor. Segundo ele, a escuta clandestina feita contra o ministro Gilmar Mendes, longe de ser uma ação isolada, é quase uma rotina em Brasília. Os alvos, como são chamadas as vítimas de espionagem no jargão dos arapongas, quase sempre ocupam postos importantes. Somente neste ano, de acordo com o funcionário, apenas em seu setor de trabalho já passaram interceptações telefônicas de conversas do chefe de gabinete do presidente Lula, Gilberto Carvalho, e de mais dois ministros que despacham no Palácio do Planalto – Dilma Rousseff, da Casa Civil, e José Múcio, das Relações Institucionais. No Congresso, a lista é ainda maior. Segundo o araponga, foram grampeados os telefones do presidente do Senado, Garibaldi Alves, do PMDB, e dos senadores Arthur Virgílio, Alvaro Dias e Tasso Jereissati, todos do PSDB, e também do petista Tião Viana. Esse último, conforme o araponga, foi alvo da interceptação mais recente, que teve o objetivo "de acompanhar como ele está articulando sua candidatura à presidência do Senado". No STF, além de Gilmar Mendes, o ministro Marco Aurélio Mello também teve os telefones grampeados." [...] (leia a continuidade da reportagem clicando neste ponto)
.
*
*

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Blogs que me encantam!


..saia justa......† Trilha do Medo ♪....Blogueiros na Web - Ensinando o Sucesso no Blogger e Wordpress!..Emprego Virtual..Blog Ebooks Grátis....http://3.bp.blogspot.com/_vsVXJhAtvc8/ShLcueg5n2I/AAAAAAAACqo/sOQqVTcnVrc/S1600-R/blog.jpg..http://lh6.ggpht.com/_vc1VEWPuSmU/TN8mZZDF9tI/AAAAAAAAIJY/GWQU-iIvToI/banner-1.jpg....Divulgar textos | Publicar artigo....tirinhas do Zé........

Estatística deste blog: Comentários em Postagens Widget by Mundo Blogger

Safernet



FinderFox

LinkWithin

Blog Widget by LinkWithin