11 de jul de 2008

Onde passa boi, passa boiada (Eliane Cantanhêde/Pensata)

Quem já tem a "carteirinha do blog" sabe que sou um fã, incondicional, de Eliane Cantanhede. Fosse eu um colunista, gostaria de escrever com o estilo dela e mais que isso, ter a sua credibilidade e independência. Preciso falar mais?
Se pudesse, transcreveria todas as suas colunas, mas a maioria dela é sobre política partidária e este é um assunto tabu, aqui, na Oficina de Gerência.
Entretanto, todas as vezes que "descubro uma brechinha" para trazer o texto de Eliane Cantanhede ao blog, não perco a oportunidade. Como agora, por exemplo. "Pensata", é um espaço onde diversos jornalistas/colunistas do grupo Folha de São Paulo, de variados matizes e trajetórias escrevem diariamente, no site do Folha On Line. A Eliane (olha a intimidade !!!) se faz presente regularmente.
O artigo que transcrevi versa sobre um assunto que tem me incomodado desde que ouvi, pela primeira vez, que o Presidente da Colômbia, Álvaro Uribe, está buscando o terceiro mandato.
Ao contrário do Presidente Lula, é visível o esforço político daquele mandatário - Uribe - em quebrar o ciclo democrático mais antigo da América Latina - a Colômbia - e se nivelar com seu maior desafeto, o esquisito Hugo Chavez, da Venezuela.
Agora, com a libertação de Ingrid Betancourt, a popularidade de Álvaro Uribe subiu a inimagináveis - para os padrões sul-americanos - 91/92%. A consequência natural é o povo pedir uma espécie de "Dia do Fico" para Uribe. E ai, este é o mote do comentário da colunista, abrir a porteira e dar caminho para a boiada do terceiro mandato na América Latina, Brasil incluído. Tem sentido.
Vamos ler o que diz Eliane Cantanhede a respeito? Afinal de contas ela escreveu de lá, de Bogotá..
.

gggggggggggggggggggggggggggggggggggggggggggg



(clique no logotipo para ler o artigo dentro do website)
09/07/2008

Onde passa boi, passa boiada


.......... Quem ler a entrevista que o assessor e ideólogo do governo colombiano José Obdulio Gaviria me deu (publicada terça, 8/7, na Folha e na Folha Online), não tem dúvidas: apesar de negativas daqui e dali, o presidente Alvaro Uribe Está com tudo pronto para mudar a Constituição e disputar o seu terceiro mandato.
.......... Uribe já tinha mais de 80% de popularidade. Agora o céu é o limite, depois da operação espetacular de resgate da ex-candidata à Presidência Ingrid Betancourt, três norte-americanos e 11 soldados e policiais colombianos. Pelas últimas pesquisas, ele é considerado imbatível, com 72% de intenções de voto numa e 79% em outra.
.......... Bem, mudar a Constituição não parece nenhum grande problema para ele. Na própria terça, lá estava Uribe reunido com o presidente da Corte Suprema de Justiça, num campo neutro: nada mais nada menos que o Arcebispado de Bogotá. Não nos esqueçamos de que, além de católico ferrenho, ele é ligado à Opus Dei, a linha mais, digamos, polêmica da Igreja.
.......... Amaciar a Justiça é o primeiro passo para mudar a Constituição, porque a Corte vem tentando julgar se o processo que resultou na primeira reeleição de Uribe, em 2006, foi legal e direito. Amaciada a Corte, é investir no Parlamento, onde os uribistas, evidentemente, são maioria. Dali às urnas!
.......... Bem, resistências haverá. A própria Ingrid Betancourt já anda botando as asinhas de fora para disputar a Presidência em 2010, assim como o ministro da Defesa, Juan Manuel Santos. Mas que fiquem espertos, porque a força de Uribe é avassaladora. Se for candidato, ganha. Se não for, faz o sucessor. Brigar com ele, mesmo com muito boas razões, pode ser uma fria.
......... O mais curioso é que quem mais se estapeou pelos mandatos sucessivos foi Hugo Chávez, aqui ao lado, na Venezuela, mas sem sucesso. E é justamente seu adversário mais visceral, e de direita, quem está mais perto de chegar lá, com apoio dos EUA, mão pesada no combate à violência e um governo excessivamente militarizado. Ou seja: as Farc estão sendo o maior cabo eleitoral do seu inimigo Uribe.
.......... Isso tudo são impressões aqui de Bogotá, onde passo uma semana. Mas o que mais interessa é que sempre se diz que "a Colômbia está isolada", mas todos os olhares estão focados aqui e o que se discute é o efeito Uribe no continente. Se ele abrir a porteira do terceiro mandato, a aposta é que vá um por um atrás dele. É a velha história: onde passa boi, passa boiada. Não é, PT?
*
PS - A prisão de Daniel Dantas, Celso Pitta e Naji Nahas é também espetacular, algo para chamar a atenção do mundo inteiro. Mas a pergunta que não quer calar é: até quando?! "

Eliane Cantanhêde é colunista da Folha, desde 1997, e comenta governos, política interna e externa, defesa, área social e comportamento. Foi colunista do Jornal do Brasil e do Estado de S. Paulo, além de diretora de redação das sucursais de O Globo, Gazeta Mercantil e da própria Folha em Brasília. Clique no link Eliane Cantanhêde para ler outros artigos da colunista na Pensata
.

========================================================

Nenhum comentário:

Postar um comentário