28 de jul de 2008

O que fará Bernardinho agora?

(foto do caderno de esportes do Correio Braziliense de hoje)
.
Vamos esquecer torcida, paixão e emoções?
Falo das
duas derrotas que a ex-imbatível seleção brasileira de voleibol sofreu neste fim de semana. Em dois jogos ganhou apenas um set e perdeu seis. Impensável! Como resultado, além de provar o gosto amargo das derrotas, para rivais tradicionais, ainda ficou fora do pódio (o que não acontecia há alguns anos) no torneio que disputava – Liga dos Campeões – e pecado mortal, dentro do Maracanãzinho, em pleno Rio de Janeiro.
Mas, como disse, esqueçam o coração (doído) de torcedores e vamos começar a pensar como observadores de um “case” de liderança extraodinário e que não começou de agora. Vem de lá atrás, quando
Ricardinho – capitão do time, uma das principais lideranças do grupo e estrela do conjunto – foi dispensado sumariamente pelo técnico Bernardinho, às vésperas dos Jogos Pan-americanos do Rio de Janeiro. Na época produzi dois posts a respeito do assunto: Bernardinho versus Ricardinho: de que lado você está? e Voltamos ao tema Bernardinho versus Ricardinho.
Com as duas derrotas, no final de semana, o grupo vencedor de atletas brasileiros foi sacudido. Perdeu um torneio importantíssimo que todos consideravam como “faturado”. E perdeu feio. No jogo decisivo - contra EUA - foi uma humilhação de 3 a 0 e no seguinte, quando disputava um lugar no pódio, mostrou-se desmotivada e sem força.

Hoje mesmo já ouvi um famoso comentarista de rádio, Milton Neves (de quem eu, aliás, não gosto do estilo e nem respeito como analista, mas que tem uma enorme audiência)"cobrando", aos brados, que o Ricardinho seja convocado “na marra” pelo técnico da seleção como se esse fosse o motivo das derrotas. Não foi, posso lhes assegurar com base na minha vivência com grupos operacionais.
Não vou também me deter nos motivos. São diversos e numerosos. A maioria deles diz respeito ao ego de cada atleta e do seu comandante. Excesso de confiança na própria capacidade, subestimação da qualidade dos oponentes, falta de foco na atividade de agora (pensamento voltado para as Olimpíadas) e todas essas circunstâncias, tão antigas quanto
Caim e Abel, mas que teimam em conviver com equipes e grupos de sucesso.
E qual é o case a que me referi no início do post?
Estou curioso e vou acompanhar, junto com vocês, leitores do blog, qual a solução que o Bernardinho e sua Comissão Técnica vão tirar da manga do colete afim de retornar o grupo para o velho “quadrante um”. Quem se lembra da (desprezada) Grade Gerencial (Managerial Grid) ? (quadrante um é o estilo gerencial onde prevalece o foco 100% na tarefa total e zero nas “humanidades”. Ou seja, é só trabalho duro e sem piedade e nada de dispensas, folgas, férias ou elogios). Treinamento de guerra.
É a fórmula tradicional para um estilo de liderança como o do Bernardinho. A dúvida é se a equipe (será que ainda é equipe ou já retrocedeu para o estágio de grupo?) aceitará a pressão. Jogadores famosos, ricos e com a
vida resolvida geralmente não conseguem força interior para “voltar às origens” dos treinos duríssimos e dos sacrifícios pessoais. E a geração mais nova não está à altura dos veteranos consagrados. Lembremo-nos dos cases de Ronaldo Fenômeno e recentemente o de Ronaldinho Gaúcho.
Por esses ingredientes é que o case da seleção de vôlei será muito interessante de se acompanhar. E vamos usar a lupa mágica que transforma esses fatos do universo esportivo em “cases do mundo corporativo”. Está aberta a temporada de palpites e opiniões. O irá acontecer? A seleção conseguirá retomar sua condição de “imbatível” e chegar à final das Olimpíadas? Ou comprovará a decadência do grupo, sem “punch” para enfrentar os sacrifícios de uma recuperação rumo à qualidade (aparentemente) perdida.
A propósito, transfiram todo o cenário descrito para o ambiente das corporações. Só mudam os nomes e as atividades. O treinador é o líder, o diretor, o comandante. Líderes do time são os gerentes; atletas são os funcionários da corporação e a Comissão Técnica, a diretoria. O presidente da
CBV é presidente da empresa, o chefão de todos, o dono. Ah! Os times adversários são os concorrentes e a vitória nas Olimpíadas (neste caso) é o mercado a ser conquistado.
Fichas na mesa! Divirtam-se. Se acompanharem bem vão aprender muito...
.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Blogs que me encantam!


..saia justa......† Trilha do Medo ♪....Blogueiros na Web - Ensinando o Sucesso no Blogger e Wordpress!..Emprego Virtual..Blog Ebooks Grátis....http://3.bp.blogspot.com/_vsVXJhAtvc8/ShLcueg5n2I/AAAAAAAACqo/sOQqVTcnVrc/S1600-R/blog.jpg..http://lh6.ggpht.com/_vc1VEWPuSmU/TN8mZZDF9tI/AAAAAAAAIJY/GWQU-iIvToI/banner-1.jpg....Divulgar textos | Publicar artigo....tirinhas do Zé........

Estatística deste blog: Comentários em Postagens Widget by Mundo Blogger

Safernet



FinderFox

LinkWithin

Blog Widget by LinkWithin