DIA NACIONAL DO BOMBEIRO

DIA NACIONAL DO BOMBEIRO
DIA NACIONAL DO BOMBEIRO - O Dia do Bombeiro Brasileiro é comemorado no dia 2 de julho. Esta data é uma homenagem a todos os heróis brasileiros que arriscam as suas vidas para proteger as pessoas, as cidades e as florestas do risco de incêndios, desastres naturais, desabamentos, etc. Além de apagar incêndios, os bombeiros também desenvolvem vários projetos sociais e educativos, com o objetivo de tentar melhorar a qualidade de vida da comunidade. Os bombeiros também ajudam a socorrer animais em perigo e auxiliar pessoas que enfrentam situações de grande stress, como tentativa de suicídio, afogamento, desaparecimentos e traumas provocados por acidentes. Dia do Bombeiro Brasileiro Origem do Dia do Bombeiro Brasileiro A escolha desta data é uma homenagem a criação do Corpo Provisório de Bombeiros da Corte, inaugurado em 2 de julho de 1856, no Rio de Janeiro, e sob o comando do major João Batista de Morais Antas. Oficialmente, o Dia do Bombeiro Brasileiro foi instituído através do Decreto nº 35.309, de 2 de abril de 1954. A partir desta mesma lei, também foi definido a realização anual da Semana de Prevenção Contra Incêndios. Antigamente, antes do Imperador D. Pedro II assinar o Decreto Imperial nº 1.775 que regulamentava o serviço de bombeiros, o badalar dos sinos era sinal de que homens, mulheres e crianças tinham que formar uma fila no poço mais próximo e assim, passarem baldes de mão em mão até chegarem ao local do incêndio.

segunda-feira, 2 de fevereiro de 2009

Stroessner, ditador do Paraguai por 35 anos, foi deposto em golpe de estado.


..................................................................................

02/02/1989 - Golpe depõe Stroessner

Jornal do Brasil: Golpe militar depõe ditador paraguaio
O presidente paraguaio general Alfredo Stroessner foi deposto por um violento golpe de estado liderado por seu amigo o general Andrés Rodríguez. Stroessner estava havia 35 anos no poder, e era o mais antigo ditador da América Latina. Rodríguez assumiu a presidência com a promessa de restaurar a democracia e o respeito aos direitos humanos. 

O general deflagrou o golpe no fim da noite, quando tropas rebeldes entraram em choque com os efetivos leais ao governo dentro do quartel-general do 1º Corpo do Exército, próximo a Assunção. Cerca de 300 militares morreram no confronto. 

Milhares de pessoas foram para as ruas comemorar o fim do regime. As denúncias de nepotismo, prisões e tortura de adversários políticos, ligações com o contrabando e o narcotráfico enfraqueceram o poder do ditador. Stroessner alinhava-se com o regime da África do Sul e era suspeito de dar asilo a líderes nazistas. Nem o crescimento econômico proporcionado pela usina hidrelétrica de Itaipu – projeto desenvolvido em parceria com o Brasil – o pouparam da perda de prestígio.

Rodríguez era o braço direito de Stroessner e contra ele pesavam as mesmas acusações feitas ao ditador. Contudo, Rodríguez cumpriu suas promessas. Convocou eleições, permitiu a volta de exilados e acabou com a censura aos meio de comunicação. Em 1991, assinou com os presidentes do Brasil, Argentina e Uruguai o tratado de criação do Mercado Comum do Sul (Mercosul). Deixou a presidência do Paraguai em 1993.

Stroessner pediu asilo ao Brasil e morreu em agosto de 2006, enquanto estava sendo processado por crimes contra a humanidade durante a operação Condor. Essa ação foi realizada nas décadas de 70 e 80 pelos serviços de inteligência das ditaduras da América Latina, com o objetivo de perseguir opositores na Argentina, Chile, Espanha, França, Itália e Paraguai. O general foi responsável pelo desaparecimento de ao menos 120 ativistas durante o período ditatorial.
***************************************************************************

Nenhum comentário:

Postar um comentário