14 de set de 2008

E agora José? - (Drummond por Drummond)

.
Pensei com meus botões, o que posso colocar de diferente no blog para marcar o início de um domingo?
Lembrei de postar - em vídeo - o texto maravilhoso de Rudyard Kipling, "If (Se)", mas, incrivelmente, não encontrei uma tradução decente no You Tube. Passei a pensar em Manoel Bandeira e também não achei nada que me agradasse.
Fui buscar no mestre Carlos Drummond de Andrade a segurança de um post que agradasse aos leitores. E acertei em cheio...
Logo de início, na pesquisa, encontrei este vídeo, abaixo; ele próprio, o poeta, declamando um dos seus poemas mais famosos: "E agora José?"
Foi o bastante. Por favor, não deixem de assisti-lo. Permitam-se um pouco de poesia neste início de semana. O texto é lindo, emocionante e... eterno. Na voz e na interpretação do próprio autor os versos crescem e ganham vida.
Ao final do post coloquei o texto integral do poema para quem quiser acompanha-lo, lendo, enquanto assiste e ouve o vídeo. Desfrutem desse momento único e boa semana.
*


*
E agora, José?
A festa acabou,
a luz apagou,
o povo sumiu,
a noite esfriou,
e agora, José ?
e agora, você ?
você que é sem nome,
que zomba dos outros,
você que faz versos,
que ama protesta,
e agora, José ?

Está sem mulher,
está sem discurso,
está sem carinho,
já não pode beber,
já não pode fumar,
cuspir já não pode,
a noite esfriou,
o dia não veio,
o bonde não veio,
o riso não veio,
não veio a utopia
e tudo acabou
e tudo fugiu
e tudo mofou,
e agora, José ?

E agora, José ?
Sua doce palavra,
seu instante de febre,
sua gula e jejum,
sua biblioteca,
sua lavra de ouro,
seu terno de vidro,
sua incoerência,
seu ódio - e agora ?

Com a chave na mão
quer abrir a porta,
não existe porta;
quer morrer no mar,
mas o mar secou;
quer ir para Minas,
Minas não há mais.
José, e agora ?

Se você gritasse,
se você gemesse,
se você tocasse
a valsa vienense,
se você dormisse,
se você cansasse,
se você morresse…
Mas você não morre,
você é duro, José !
Sozinho no escuro
qual bicho-do-mato,
sem teogonia,
sem parede nua
para se encostar,
sem cavalo preto
que fuja a galope,
você marcha, José !
José, pra onde ?
*
(Clique no link e veja a biografia de Carlos Drummond de Andrade.)
.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Blogs que me encantam!


..saia justa......† Trilha do Medo ♪....Blogueiros na Web - Ensinando o Sucesso no Blogger e Wordpress!..Emprego Virtual..Blog Ebooks Grátis....http://3.bp.blogspot.com/_vsVXJhAtvc8/ShLcueg5n2I/AAAAAAAACqo/sOQqVTcnVrc/S1600-R/blog.jpg..http://lh6.ggpht.com/_vc1VEWPuSmU/TN8mZZDF9tI/AAAAAAAAIJY/GWQU-iIvToI/banner-1.jpg....Divulgar textos | Publicar artigo....tirinhas do Zé........

Estatística deste blog: Comentários em Postagens Widget by Mundo Blogger

Safernet



FinderFox

LinkWithin

Blog Widget by LinkWithin