28 de jun de 2008

Denúncia: consulado do Brasil em Lisboa é um caos.

Transcrevo texto do blog Limiano41, do meu amigo em Portugal, Fonseca Lima. Ele reside em Lisboa e é um apaixonado pelo Brasil. É só visitar a página dele para perceber; basta dizer que o logo do blog é a bandeira do Brasil e ele não esconde este "brasileirismo" que lhe aflora à pele. Por isto pode (e deve) fazer o registro que postou. É um brasileiro de sentimento e fica tão indignado quanto quanto qualquer um de nós que veja o que ele viu, desonrando o nome do Brasil no exterior.

Pois bem, o Fonseca Lima fez uma denúncia sobre as condições em que o consulado brasileiro atende àqueles que procuram os serviços consulares em Lisboa. Acho que vale a pena reproduzir o texto aqui, no galpão da Oficina de Gerência, na esperança de que, alhures, alguém ligado ao Itamaraty, ao governo brasileiro ou até mesmo a algum jornalista possa verificar e tomar as providências. Tenho certeza de que o Presidente Lula não concorda com estas demonstrações de incompetência brasileira, no exterior. Leiam o texto, por favor.
.
(clique na imagem e veja o post no contexto do blog)
"Imagens que eu pensava nunca mais voltar a ver pessoalmente: refugiados do Congo, refugiados de Angola,refugiados de Guiné Bissau, filas para aquisição de gêneros alimentícios logo após guerra e outras imagens tristes que eu pude ver através do cinema, dos jornais e da televisão como sendo coisas do passado! Que passado que nada! Eis que, muito pertinho de mim, onde trabalho, ressurge uma dessas imagens, retrato de uma crise que eu gostaria que alguem me explicasse a razão de sua existência.
Um país grandioso, rico, maravilhosamente concebido por Deus à imagem do Paraíso, um solo de onde rompe tudo o que a humanidade necessita e, que, inexplicavelmente deixa saír seu povo em busca do que afinal não existe em lugar algum a não ser ali messmo: BRASIL!!!Lisboa, Largo Luis de Camões, instalações do Consulado Geral do Brasil, três horas da manhã de qualquer dia útil. Já se nota um movimento de pessoas chegando e tomando os lugares para uma fila que se vai agigantando no passar do tempo até às 9 da manhã quando abre aquela Repartição consular. A essa hora já o número de pessoas é tal que a fila ocupa todo aquele quarteirão da Baixa do Chiado e a ultima pessoa da fila está logo a seguir à primeira como a cabeça de uma cobra gigante ligada ao fim da cauda!
O Consulado atende uma média de 500 pessoas por dia e os assuntos são os mais diversos até aquele que nem o próprio emigrante sabe o que ali vai fazer!Para dar vasão a tão significativo movimento as instalações do Consulado sofreram grande alteração mas enormes lacunas são evidentes e não se nota muito a diferença do antes para o depois. Foi assim como tirar os bancos de um onibus para que maior número de passgeiros pudesse viajar em pé, sem segurança, se esturricando de calor, aos solavancos, por entre o Sertão...
E é assim que se sentem os brasileiros que permanecem ali horas e horas esperando que seus assuntos sejam resolvidos. O ar condicionado não funciona, o número de pessoas na sala é mais do que a própria sala pode suportar. O barulho é ensurdecedor com ruídos de vozes, o transito lá fóra e os gritos estridentes das crianças que são levadas pelos pais para uma possivel prioridade no atendimento (onde se juntam também as mulheres grávidas e são bastantes)! A distribuição de senhas de atendimento é precária e suscita vários atritos, passando pela negociação da própria senha por indivíduos que já fazem disso sua profissão.
Chega-se a vender uma senha por 50 euros!! Informação fidedigna. Mas o considerado normal é de 20 euros por senha!!!! Quem vai por cobro a isto?
O número de funcionários até que seria suficiente mas mal divididos e mal instalados e, quem sabe, mal remunerados.
Os aparelhos de informática são velhos e lentos, na remodelação não se pensou nem sequer na comudidade dos funcionários que se sentam em cadeiras quebradas,assentos rasgados, não oferecendo qualquer tipo de segurança. São velhas as mesas de trabalho e velho é todo aquele prédio cujo espaço ocupado pelo Consulado eu nomearia como sendo "o elefante branco do Itamaraty" onde enormes quantias de dólares foram gastos, mal gastos e que, certamente, dariam para a aquisição de um imóvel mais funcional e em lugar de maior acessibilidade, pelo menos. Para seu governo, cidadão brasileiro, a última importancia gasta ali, com o elefante branco, mas sujo, rondou um milhão de euros!!! "
.

3 comentários:

  1. Caríssimo Herbert,
    Muito obrigado pela divulgação do meu Post sobre o problema dos brasileiros no exterior. Você nem imagina a vontadde que eu tenho às vezes de gritar mas uma certa "pusilanimidade" tem evitado gritos maiores...
    Quem sabe mais uma voz gritando dê para escutar ao menos o eco...
    Abração do
    Fonseca Lima

    ResponderExcluir
  2. Caro amigo,
    Estarei sempre ao seu dispor. Seja uma voz dos brasileiros ai, na linda Lisboa. Tudo que você entender interessante para nós, cá do outro lado do oceano, pode mandar que será divulgado aqui. E com o maior prazer.

    ResponderExcluir
  3. tenho um amigo é italiano e mora no brasil, foi pro japão e casou lá,trouxe a esposa e ela est´ morando com ele no brasil.rj. só que não casaram aqui, ela poderá ser deportada pro japão .

    ResponderExcluir