6 de mai de 2008

Os Três Porquinhos - (Conto Corporativo)

Dias atrás, por sugestão do Ronaldo Costa do Qualiblog, publiquei um artigo do Prof. Wagner Campos - "A Cinderela Corporativa' (Um Conto Empresarial). Enviei um e-mail avisando-o (como é meu hábito). Gentilmente me respondeu (veja o texto do e-mail abaixo) e sugeriu que eu publicasse o seu artigo "Os Três Porquinhos". Foi o que fiz. No ótimo site O Gerente e copiei o artigo do Wagner, excelente e bem no estilo da Oficina de Gerência, para trazê-lo aos leitores do blog. Tenho certeza de que vão gostar.
.


Os Três Porquinhos
(do Professor Wagner Campos)
"Durante o século XVIII surgiram vários contos de fadas envolvendo animais. Entre centenas de histórias, criou-se um conto representado por três porquinhos. Em 1933 a Disney reformulou o conto e tornou-o famoso em todo mundo, batizando cada um dos porquinhos com um nome: Prático, Heitor e Cícero.
Conforme relata o conto, um belo dia os três porquinhos resolveram sair de onde moravam e cada um combinou construir sua casa. Cícero era o porquinho menos esforçado e relaxado, então construiu uma casinha de palha. Heitor queria um pouco mais de conforto e aconchego e construiu uma casa de madeira. Já o Prático, queria uma casa confortável, segura, resistente, durável e que refletisse sua personalidade. O resto da história você já sabe. Vem o lobo mau, assopra a casinha de palha e a derruba; o porquinho Cícero corre para a casa de madeira de seu irmão Heitor, o lobo vai atrás, assopra-a e a destrói e os porquinhos fogem para a casa de pedra do Prático. O lobo assopra, assopra, assopra e não derruba a casa. Tenta entrar pela lareira e cai em um caldeirão de água quente, fugindo assustado enquanto os porquinhos comemoram a vitória.
Em todas corporações podemos encontrar colaboradores que assumem papéis de personagens semelhantes aos vividos pelos três porquinhos. Há aquele com o perfil do porquinho Cícero, que ao resolver iniciar suas atividades não as realiza com paixão e determinação, e muito menos as finaliza. Seu maior interesse é em cumprir a carga horária, e não apresentar resultados ou contribuir com estratégias criativas para a empresa. Encontra-se constantemente tomando cafezinhos, batendo papo, fumando, navegando na Internet com interesses particulares e quando questionado, apresenta seus relatórios incompatíveis com a expectativa para sua função.
Quando percebe que sua segurança profissional torna-se abalada, corre em direção de alguém que possa auxiliar para que complete sua atividade. Não em direção de quem necessariamente o oriente, mas de quem literalmente faça o que ele deveria ter feito. Vai atrás de alguém com o perfil do porquinho Heitor, colaborador que realmente se dedica ao realizar suas atividades e cumpre exatamente aquilo que foi orientado a fazer. Como um bom executor, é receptivo e prestativo, ajudando muitas vezes os colaboradores com perfil do porquinho Cícero, buscando inclusive encobrir a falha ou má vontade dele em razão da amizade existente.
Para a sorte das corporações existem os colaboradores que vão além do mínimo ou necessário. São aqueles que desenvolvem projetos, apresentam estratégias, buscam melhorias constantes que possam contribuir para o resultado da empresa e também de todos que atuam conjuntamente, muito além de apenas desempenharem atividades para as quais foram contratados. Estes colaboradores são aqueles que possuem o perfil do porquinho Prático. Não querem apenas construir um abrigo ou simples casa. Não querem fazer igual ou o necessário, querem apresentar mais trabalho e melhor, em menos tempo, com maior duração, com resultados expressivos e em benefício de todos.
E porque os profissionais com as características dos porquinhos Cícero e Heitor iriam solicitar auxílio ao profissional com o perfil do porquinho Prático? Pelo mesmo motivo da história. Por causa do lobo mau! O lobo mau da concorrência, da necessidade de redução de custos e de tempo, da exigência de inovação, do desenvolvimento de novos produtos, novas campanhas e da melhoria da competitividade.
Este lobo mau mercadológico vive faminto e não perdoa. Porquinho que não inova vira lombo defumado no café da manhã. Porquinho que não reduz seus custos fica com sua estrutura pesada, não consegue fugir e vira porquinho assado no almoço. Porquinho que não melhora sua competitividade, não desenvolve campanhas e não se demonstra preparado fica sem conseguir se diferenciar de outro e vira ensopado no jantar.
Dificuldades à parte, somente com muito esforço, determinação e paixão pelo que se faz, juntamente com muito profissionalismo é que se consegue conquistar mais espaço e ampliar os horizontes.
Aquele hábito de ficar enrolando ou simplesmente executando o que ordenaram para se fazer, tornando-se um “pau mandado”, não é o melhor caminho e cedo ou tarde, como na história, a casa cai. Perdoe-me o trocadilho, mas que tal então, ter um perfil mais “prático”?"
.
..............................................................................................
Cópia do e-mail do Prof. Wagner Campos:
"Olá Herbert, obrigado pelo contato.Está autorizado a utilizar o artigo desde como já o fez, mantendo a fonte e meios de contato. Agradeço lisongeado seu interesse.Irei cadastrá-lo em meu mailing, caso permita, para enviar a você semanalmente artigos envolvendo as mais variadas áreas.Aproveito para sugerir a leitura do artigo "OS TRÊS PORQUINHOS", com mesmo foco que Cinderala Corporativo, porém, acredito que tenha tido a oportunidade de realizar ainda mais analogias de formas bem humoradas e criativas.Um grande abraço!Wagner Campos"
.
Prof. Wagner Campos é Palestrante e Conferencista em Vendas, Motivação e Liderança. Administrador de empresas, pós-graduado em Marketing, Comunicação e Negócios e em Ensino Superior. Possui experiência há mais de 12 anos na área, tendo desenvolvido experiência em empresas renomadas como Cia Cervejaria Brahma, Unibanco, Multibrás Eletrodomésticos, Bebidas Wilson e Sebrae. É autor do Livro "Vencendo Dia a Dia" e Coordenador dos cursos de Marketing, Logística Empresarial, Recursos Humanos e Comércio Exterior e Professor de Marketing da Universidade Paulista - UNIP e Coordenador e Professor de Marketing do Grupo Unianhanguera Educacional. Contato: wagner@trueconsultoria.com.br, site http://www.trueconsultoria.com.br/, Fone para contato: (19) 3444-9599.Leia o artigo completo, no contexto do site original clicando no link a seguir: A Cinderela Corporativa - Um Conto Empresarial
.

®®®®®®®®®®®®®®®®®®®®®®®®®®®®®®®®®®®®®®®®®®®®®®®®®®®®®®®®®®®®®®®®®®®®®®®®®®®®®®®®

5 comentários:

  1. Efetividade, eficácia e eficiência. Muito boa a associação com os três porquinhos! Adorei o artigo! Boa semana para você! :)

    ResponderExcluir
  2. Brigaduu, Lady Jackie.
    Estava com saudades! Uma ótima semana para você e para o SuperDica$$ também. Não demore muito para voltar.
    Ah! Não esqueci aquela "promessa" do artigo... Não é "pressão",é só um lembrete. Não posso abrir mão de ver a madrinha do blog com um artigo publicado no galpão do "afilhado".
    Abraço apertado.

    ResponderExcluir
  3. Enviei a ti um e-mail Herbert... Não recebeu? Beijos!

    ResponderExcluir
  4. Mil desculpas Jaqueline, estou muito atrasado com os e-mails da BOL. Hoje vou dar uma "geral" por lá; O blog está "consumindo" 100% do meu tempo (com muito prazer, diga-se de passagem).
    Abraço apertado.

    ResponderExcluir
  5. Sei como é Herbert, o meu blog também consome muito tempo :D

    ResponderExcluir