15/10 - DIA DO PROFESSOR

15/10 -  DIA DO PROFESSOR
O Dia dos Professores é comemorado no Brasil anualmente em 15 de outubro. A data foi criada para homenagear esses profissionais que dedicam suas vidas à transmissão do conhecimento e ao desenvolvimento da educação no nosso país. Trata-se de um feriado escolar e não faz parte do calendário oficial como feriado nacional ou ponto facultativo. Portanto, é prerrogativa das escolas não ofertarem aula neste dia. O dia 15 de outubro foi escolhido para comemorar o dia do professor, pois em 15 de outubro de 1827, Dom Pedro I, Imperador do Brasil, decretou uma Lei Imperial responsável pela criação do Ensino Elementar no Brasil (do qual chamou “Escola de Primeiras Letras”), e através deste decreto todas as cidades deveriam ter suas escolas de primeiro grau. A comemoração começou em São Paulo, onde quatro professores tiveram a ideia de organizar um dia de parada para celebrar esta data, e também traçar novos rumos para o próximo ano. Esta data foi oficializada nacionalmente como feriado escolar através do Decreto Federal nº 52.682, de 14 de outubro de 1963. O Decreto define a razão do feriado: "Para comemorar condignamente o Dia dos Professores, os estabelecimentos de ensino farão promover solenidades, em que se enalteça a função do mestre na sociedade moderna, fazendo participar os alunos e as famílias". A nível internacional, o Dia Mundial dos Professores é celebrado anualmente em 5 de outubro.

sexta-feira, janeiro 06, 2012

Falência da Kodak com 113 anos de existência é algo triste de se ver.

Já estava “fechando” as portas da Oficina de Gerência quando dei uma passada pelo site de ''O Filtro'' cujo banner coloco na aba lateral do blog. Passo lá todos os dias e várias vezes para ler a melhor essência de notícias que conheço entre os blogs especializados que conheço.
Cliquei e li que a falência da Kodak  - que foi a maior entre as maiores na indústria da fotografia - está sendo noticiada pelo Wall Street Journal e já repercute no mundo inteiro. Será, se confirmada, a queda de um gigante e um dos mais fascinantes estudos de caso da era moderna. Basta dizer que a Kodak foi quem criou a máquina fotográfica digital. Entretanto não conseguiu resistir à concorrência e começou a declinar desde a década de 80.
Leiam a matéria, pois a noticia estará em todos os noticiários de hoje (clique aqui). Pessoalmente espero que a corporação consiga sobreviver. O desaparecimento da Kodak é o fim de uma era, de um momentum da história de cada um e de todos os amantes da fotografia e da imagem que nos acostumamos a manusear aqueles rolinhos amarelos para colocar os filmes em nossas máquinas. Não gostaria de ver acontecer.


Kodak pode pedir falência em um mês

Quando pensamos em fotografia, uma das primeiras imagens que vem a nossa mente é a das caixinhas amarelas de filmes da Kodak. Mas quando foi a última vez que abrimos as embalagens e colocamos os rolos de filme em uma máquina analógica?

Com 113 anos de existência, a Estman Kodak Co. foi uma das maiores referências em fotografia. Sua linha de filmes Kodachrome (que virou até título de música do Paul Simon) foi usada por grandes fotógrafos, como Steve McCurry, famoso, entre outros trabalhos, pela imagem que fez de uma jovem afegã). Com o surgimento das máquinas digitais, a empresa foi perdendo importância. Migrou para o ramo de impressoras comerciais e pessoais, mas os resultados não foram suficientes para bancar as obrigações da empresa, que incluem aposentadorias milionárias.

Agora, a Kodak pode pedir falência em fevereiro, segundo informações do Wall Street Journal:

A empresa está colocando em prática os últimos esforços para vender algumas patentes de seu portfólio. Mas preparativos estão sendo feitos caso a falência seja inevitável, incluindo um pedido de empréstimo de US& 1 bilhão ao banco.

A falência seria o capítulo derradeiro de uma história de pioneirismo e inovação? Criada em 1888, a empresa atraía talentos da engenharia de todos os pontos do país para seu escritório em Rochester, Nova York. Foi responsável pela criação da máquina digital, em 1975, mas não conseguiu lucrar com sua descoberta.

Os problemas da companhia começaram na década de 1980, quando outras empresas começaram a disputar o mercado de filmes fotográficos. A partir de então, nunca mais teve o prestígio de antes. Em 2003, a empresa anunciou que pararia de investir em filmes. Em 2009, anunciou que pararia de fabricar o Kodachrome – e o último rolo do filme foi produzido em 2011. Será que em breve produtos Kodak se tornarão definitivamente peça de museu?

Nenhum comentário:

Postar um comentário