15/10 - DIA DO PROFESSOR

15/10 -  DIA DO PROFESSOR
O Dia dos Professores é comemorado no Brasil anualmente em 15 de outubro. A data foi criada para homenagear esses profissionais que dedicam suas vidas à transmissão do conhecimento e ao desenvolvimento da educação no nosso país. Trata-se de um feriado escolar e não faz parte do calendário oficial como feriado nacional ou ponto facultativo. Portanto, é prerrogativa das escolas não ofertarem aula neste dia. O dia 15 de outubro foi escolhido para comemorar o dia do professor, pois em 15 de outubro de 1827, Dom Pedro I, Imperador do Brasil, decretou uma Lei Imperial responsável pela criação do Ensino Elementar no Brasil (do qual chamou “Escola de Primeiras Letras”), e através deste decreto todas as cidades deveriam ter suas escolas de primeiro grau. A comemoração começou em São Paulo, onde quatro professores tiveram a ideia de organizar um dia de parada para celebrar esta data, e também traçar novos rumos para o próximo ano. Esta data foi oficializada nacionalmente como feriado escolar através do Decreto Federal nº 52.682, de 14 de outubro de 1963. O Decreto define a razão do feriado: "Para comemorar condignamente o Dia dos Professores, os estabelecimentos de ensino farão promover solenidades, em que se enalteça a função do mestre na sociedade moderna, fazendo participar os alunos e as famílias". A nível internacional, o Dia Mundial dos Professores é celebrado anualmente em 5 de outubro.

terça-feira, janeiro 29, 2013

A Arte da Sabedoria Mundana - "Saber Mudar" (Aforismo 198)


A
presento no blog mais um aforismo de Baltasar Gracián, o de número 198 do seu livro "A Arte da Sabedoria Mundana". Mantendo meu compromisso de transcrever aqui no blog muitos dos trezentos pensamentos que o teólogo espanhol do século 17 escreveu. Sobre esta série (até agora, com este, serão três aforismos publicados) escrevi uma "nota de rodapé" ao final do post a respeito desse meu projeto.
Sobre o aforismo deste post, como sempre, Gracián aborda um tema provocante. O foco maior está nas relações que as nações, sociedades e pessoas mantêm com seus filhos mais ilustres. Chegou a escrever que "As mães pátrias se comportam como madrastas para com os superiores".
O aforismo traduz em poucas palavras, estilo que consagrou Gracián, essa atitude desagradável e preconceituosa com a qual os grupos sociais tratam as pessoas que a ele pertenceram quando chegam a alcançar o êxito e o sucesso pessoal dentro do próprio sítio onde nasceu. E sabemos que é assim mesmo.
Os aforismos nos conduzem às reflexões sobre nossos próprios pensamentos e valores. Eles não indicam as receitas ou o aconselhamentos de como se deva proceder em relação aos temas que abordam. Apenas os coloca de maneira genial e suscita consideração, meditação, ponderação... É sempre um exercício de inteligência ler os aforismo de Baltasar Gracián.
Leia você mesmo e tire suas conclusões.
Quadro pertencente ao acervo do Museo de America, os reis espanhóis recebem Colombo
 .
 Saber Mudar
(Aforismo 198 transcrito do livro "A Arte da Sabedoria Mundana" de Baltasar Gracián).

Há nações que só alcançam a estima após mudarem de lugar, e a regra é especialmente válida nas altas posições.
As mães pátrias se comportam como madrastas para com os superiores.
A inveja encontra solo fértil e reina sobre tudo, lembrando as imperfeições do início em vez da grandeza alcançada mais tarde.
Um mero alfinete ganhou apreço ao viajar do Velho Mundo para o Novo, e uma conta de vidro fez as pessoas desprezarem o diamante. (¹)
Tudo o que é estrangeiro goza de estima, seja por ter vindo de longe, seja porque é visto depois de elaborado e já perfeito.
Alguns foram desprezados em seu próprio cantinho, mas alcançaram fama mundial. São louvados por sua própria gente porque esta os vê a distância, e pelos estrangeiros por terem vindo de longe.
A estátua do altar nunca será venerada por alguém que a viu quando não passava de um tronco de árvore na floresta.
 
(¹) Alusão à exploração europeia do Novo Mundo.
.

Este é mais um aforismo de Baltasar Gracián na sua obra destacada aqui no blog pelo post "Possuir a arte da conversação"
Este aforismo trata - com a ironia refinada de Gracián - as mudanças de valores que ocorreram na Europa à época da exploração do Novo Mundo. A última frase é lapidar. A imagem foi retirada do site novomilenio.inf.br

Nenhum comentário:

Postar um comentário