29 de jan de 2013

A Arte da Sabedoria Mundana - "Saber Mudar" (Aforismo 198)


A
presento no blog mais um aforismo de Baltasar Gracián, o de número 198 do seu livro "A Arte da Sabedoria Mundana". Mantendo meu compromisso de transcrever aqui no blog muitos dos trezentos pensamentos que o teólogo espanhol do século 17 escreveu. Sobre esta série (até agora, com este, serão três aforismos publicados) escrevi uma "nota de rodapé" ao final do post a respeito desse meu projeto.
Sobre o aforismo deste post, como sempre, Gracián aborda um tema provocante. O foco maior está nas relações que as nações, sociedades e pessoas mantêm com seus filhos mais ilustres. Chegou a escrever que "As mães pátrias se comportam como madrastas para com os superiores".
O aforismo traduz em poucas palavras, estilo que consagrou Gracián, essa atitude desagradável e preconceituosa com a qual os grupos sociais tratam as pessoas que a ele pertenceram quando chegam a alcançar o êxito e o sucesso pessoal dentro do próprio sítio onde nasceu. E sabemos que é assim mesmo.
Os aforismos nos conduzem às reflexões sobre nossos próprios pensamentos e valores. Eles não indicam as receitas ou o aconselhamentos de como se deva proceder em relação aos temas que abordam. Apenas os coloca de maneira genial e suscita consideração, meditação, ponderação... É sempre um exercício de inteligência ler os aforismo de Baltasar Gracián.
Leia você mesmo e tire suas conclusões.
Quadro pertencente ao acervo do Museo de America, os reis espanhóis recebem Colombo
 .
 Saber Mudar
(Aforismo 198 transcrito do livro "A Arte da Sabedoria Mundana" de Baltasar Gracián).

Há nações que só alcançam a estima após mudarem de lugar, e a regra é especialmente válida nas altas posições.
As mães pátrias se comportam como madrastas para com os superiores.
A inveja encontra solo fértil e reina sobre tudo, lembrando as imperfeições do início em vez da grandeza alcançada mais tarde.
Um mero alfinete ganhou apreço ao viajar do Velho Mundo para o Novo, e uma conta de vidro fez as pessoas desprezarem o diamante. (¹)
Tudo o que é estrangeiro goza de estima, seja por ter vindo de longe, seja porque é visto depois de elaborado e já perfeito.
Alguns foram desprezados em seu próprio cantinho, mas alcançaram fama mundial. São louvados por sua própria gente porque esta os vê a distância, e pelos estrangeiros por terem vindo de longe.
A estátua do altar nunca será venerada por alguém que a viu quando não passava de um tronco de árvore na floresta.
 
(¹) Alusão à exploração europeia do Novo Mundo.
.

Este é mais um aforismo de Baltasar Gracián na sua obra destacada aqui no blog pelo post "Possuir a arte da conversação"
Este aforismo trata - com a ironia refinada de Gracián - as mudanças de valores que ocorreram na Europa à época da exploração do Novo Mundo. A última frase é lapidar. A imagem foi retirada do site novomilenio.inf.br

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Blogs que me encantam!


..saia justa......† Trilha do Medo ♪....Blogueiros na Web - Ensinando o Sucesso no Blogger e Wordpress!..Emprego Virtual..Blog Ebooks Grátis....http://3.bp.blogspot.com/_vsVXJhAtvc8/ShLcueg5n2I/AAAAAAAACqo/sOQqVTcnVrc/S1600-R/blog.jpg..http://lh6.ggpht.com/_vc1VEWPuSmU/TN8mZZDF9tI/AAAAAAAAIJY/GWQU-iIvToI/banner-1.jpg....Divulgar textos | Publicar artigo....tirinhas do Zé........

Estatística deste blog: Comentários em Postagens Widget by Mundo Blogger

Safernet



FinderFox

LinkWithin

Blog Widget by LinkWithin