29 de nov. de 2019

O Discurso do Cel.Frank Slade na "Baird School" ( Perfume de Mulher).


Imagem relacionada

Existem livros, filmes e fatos que ficam marcados na vida das pessoas, todos nós, de forma indelével. Não há nada que os faça perder-se em nossas memórias.

Faço essa breve introdução para reapresentar no blog da Oficina de Gerência o famoso discurso do "Coronel Frank Slade" na Baird School .

Todos ou quase todos os que estiverem lendo esse post podem ter assistido e lembrar-se-ão do premiado filme Perfume de Mulher (de 1992) onde Al Pacino ganhou o Oscar (1993) como melhor ator representando o Cel. Frank Slade.

Suponho que a geração nascida a partir dos anos 1998/2000, hoje na faixa dos 20 anos em diante, não tenha tido a oportunidade de assistir aquela obra de arte cinematográfica. É para essa turma que estou voltando a postar esse vídeo para apresentar o trecho do discurso que é uma peça muito repetida em cursos e palestras motivacionais.

Várias passagens do filme ficaram gravadas para a história do cinema e ilustraram centenas de palestras, aulas e reuniões além de inundar os sites de vídeos como YouTube, Daily Motion e Vimeo. Entre elas duas foram os destaques mais evidentes.

Imagem relacionadaA primeira, o tango dançado pelo Cel. Slade (que era um homem cego) em que Al Pacino a transformou em uma das mais emocionantes sequências do cinema; a segunda cena ficou sendo a mais famosa do filme; o discurso que o Cel. Slade fez na Baird School defendendo seu protegido Charlie Simms, vivido pelo ator Chris O'Donnell, que, no filme, estava prestes a sofrer uma enorme injustiça por parte do diretor da escola. texto e a interpretação de Pacino eternizaram a cena e a fizeram um símbolo da defesa pelos direitos dos mais fracos e desprotegidos.

Até hoje, passados tantos anos, ainda me emociono quando assisto o Cel. Slade, exaltado e impregnado da ira dos justos dizer frases como “Pior do que ver corpos mutilados, pernas e braços amputados como assisti nas guerras que participei é ver, aqui numa escola de elite dos EUA, a amputação dos espíritos pela punição a um jovem que se recusa a ser um delator”. Publico novamente este post. Ele vale!  Trago-o agora editado e melhorado. O vídeo é algo para ser guardado nas nossas melhores memorias.

Principalmente para os jovens das gerações acima destacadas, recomendo que o assistam prestando muita atenção nas mensagens que o indignado Cel. Slade verbera em defesa do jovem Charlie, dizendo as verdades que ninguém tivera a coragem de dizer cara a cara ao diretor da escola que planejou uma encenação para  acomodar alunos filhos de ricos doadores da escola, sacrificando outro aluno pobre que se recusava a delatar colegas, que tinham promovido uma confusão no colégio. Tudo muito igual a situações reais que estamos acostumados a ver na vida real.

Chega de conversa. Assistam ao vídeo, ouçam o discurso eterno do Cel. Slade e emocionem-se.




NOTA DE RODAPÉ - Este post foi publicado anteriormente em agosto de 2013.

Nenhum comentário:

Postar um comentário