sábado, novembro 28, 2020

Ambição ou Ganância - Conheça a diferença.


Ser ambicioso é uma qualidade? É um defeito? 

Na nossa cultura ter ambição é aceitável, mas a sociedade rejeita quem se identifica como ambicioso. Pode isso?

Não serei eu a explicar as razões dessa charada. Quem nunca ouviu a expressão "Ele tem a ambição de ser o diretor", em tom de elogio? Da mesma forma ouviu também "Ele é muito ambicioso", com a inflexão de crítica? É estranho que alguém seja aceito por ter ambição e seja criticado por ser ambicioso. Não tenho resposta para isto e farei como o João Grilo no Auto da Compadecida: "Não sei, só sei que foi assim!".

E o que falar de ganância? Esse sim, não tem meio termo. Ganância e ganancioso não são coisas bem aceitas pela sociedade. Para piorar as coisas, no cristianismo, a ganância é identificada como avareza e incluída na lista dos Sete Pecados Capitais. Não tem apelação, ganancioso é um termo pejorativo.

Mas porque a ambição é confundida tantas vezes com a ganância? Será que tem sentido? É exatamente isso que o artigo abaixo, extraído do site Administradores.com e autoria citada, vai esclarecer para o leitor da Oficina de Gerência.

Ao final do post ainda indiquei um link para - quem estiver interessado - direcionado para u outro site que trata do mesmo tema.

Boa leitura.

 


Você sabe a diferença entre ambição e ganância?

Para termos resultados mais sustentáveis no mundo corporativo, empresarial, pessoal e familiar, é fundamental sabermos diferenciar o que é ambição e o que é ganância. Isso faz toda a diferença!

Marcelo Correa MedeirosMarcelo Correa Medeiros (clique no link)
  

É natural e até saudável, termos ambições na vida, nas mais diversas áreas. 

o desejo de melhorar em todos os aspectos da nossa vida, é o que nos move a seguirmos em frente, a estabelecermos um processo de aprendizado constante e melhoria contínua, e isso é muito bom!  

Mas, nessa “corrida” rumo ao tão sonhado “sucesso”, em que ponto deixamos de ser ambiciosos para nos tornarmos “gananciosos”? Qual é o limite onde a ambição, passa a se tornar ganância? 

Se pesquisarmos sobre o significado dessas duas palavras, em diversas fontes, podemos chegar às seguintes definições: 

Ambição: obstinação intensa para conseguir determinado propósito; vontade de alcançar sucesso; pretensão. Expectativa em relação ao futuro, aspiração, determinação, vontade. 

Ganância: vontade de possuir tudo que se admira para si próprio. É a vontade exagerada de possuir qualquer coisa. É um desejo excessivo especialmente por dinheiro e poder, podendo levar as pessoas a corromper terceiros e se deixar corromper, manipular e enganar, chegando até ao extremo de tirar a vida de seus desafetos. Muitas vezes é confundida com ambição. 

Pelas definições acima, podemos tirar algumas considerações:

 - Ambição é uma atitude positiva, que nos impulsiona para a ação, para sairmos da zona de conforto e irmos além, na superação das nossas limitações, é algo bom e positivo, é a determinação imprescindível para quem desejar ser um bom líder, por exemplo; 

- Ganância é a atitude de conquistar o que se deseja a qualquer preço, a qualquer custo, mesmo que para isso tenha que passar por cima de tudo e de todos, seja de forma direta ou indireta, utilizando-se da dissimulação e manipulação. 

No Brasil especialmente, a ideia que se tem de ambição é geralmente negativa, considerando que as pessoas, também em geral, não conhecem o seu real significado e nem a distinção entre ambição e ganância. 

Em muitos países essa distinção é mais clara, fazendo parte da cultura nacional, onde ser ambicioso é algo elogiável, natural. E aí todos ganham e prosperam. 

Já no Brasil, podemos observar que a ganância é praticada em larga escala, nas mais diversas áreas, desde o ambiente corporativo até os mais altos escalões da política nacional. E aí apenas alguns ganham, mas no final todos saem perdendo. 

Muitas pessoas podem argumentar: “mas e como lidar com os concorrentes gananciosos?” A resposta é: ter estratégia, planejamento, atitude positiva, melhorar, crescer, aprender e ir além. A concorrência deve ser encarada como algo que nos impulsiona, que nos provoca para crescer, melhorar. Deve funcionar como um “combustível”, para alçarmos voos maiores, para produzirmos mais e melhor. 

Fica como reflexão, o seguinte questionamento: será que não está na hora de começarmos a mudar a nossa “cultura”, de sermos mais ambiciosos e menos gananciosos?

Com certeza essa mudança de atitude, de cultura, traria muitos benefícios para todos nós, para o país de um modo geral, na economia, na política, na gestão empresarial e em todos os aspectos da nossa vida.


Para ilustrar o artigo acima, consegui "descobrir" na internet o quadro (abaixo) resumindo as características e diferenças entre os comportamentos de quem esteja enquadrado nos perfis da Ambição ou da Ganância.

👇

Arte (Foto: Natália Durães/Época)

Clique aqui

Nenhum comentário:

Postar um comentário