18 DE MAIO DE 2024 - SÁBADO - DIA NACIONAL DE COMBATE AO ABUSO E À EXPLORAÇÃO SEXUAL DE CRIANÇAS E ADPLESCENTES



 

FRASE DO DIA

FRASE DO DIA

FRASE COM AUTOR

FRASE COM AUTOR

terça-feira, 8 de agosto de 2023

Vasco... Recomeço com nova cara, mas vamos devagar com o andor...

 


Depois de tanto criticar a direção da "777 Partners" e a direção do Vasco da Gama pela campanha ridícula  no primeiro turno do Brasileirão, vejo-me na obrigação de voltar ao tema, no blog,  para registrar o que parece ser, repito, parece ser um início de recuperação.

Faço-o, não só pela primeira vitória do time após um jejum de pontos ganhos em 9 dos 10 últimos jogos disputados (ver campanha abaixo), mas pelo desempenho do grupo após dois jogos sob o comando do Ramon Diaz.



Gostei de ver o toque do técnico com a movimentação da equipe dentro de campo. Velocidade, jogadas ensaiadas e principalmente uma vibração dos jogadores que estava perdida sob o comando do Maurício Barbieri. 

Não adianta falar nos erros cometidos pela SAF vascaína. São imperdoáveis pelo amadorismo e pela arrogância dos seus dirigentes em montar um time caro, entregá-lo a uma comissão técnica de 2ª linha. 

Acharam que só o dinheiro resolveria a montagem de uma estrutura à altura das tradições de um gigante como o Vasco. Quebraram a cara e isso custou caro ao Gigante da Colina, que agora tem de lutar para não cair ao invés de estar disputando posições que o levariam às grandes competições na próxima temporada.

Como ainda temos um 2º turno inteiro (19 jogos) e mais duas partidas  do 1º, há tempo de recuperação, repito, para garantir a vaga na série "A" de 2024 e se livrar do vexame que estava  sendo desenhado; e eu diria que ainda não estamos livres não!


São 34 pontos de diferença - equivalentes a 11 partidas ganhas com 3 pontos. Considerando que os 21 jogos que o Vasco vai disputar equivalem a 63 pontos, significa que o time de Ramon Diaz deve ganhar 54% dos pontos jogados para, então, atingir os 44  que o Botafogo tem hoje. Ora, essa aritmética  não livrará o Vasco do rebaixamento. No ano passado, o primeiro clube a ficar fora da degola foi o Cuiabá, com 41 pontos.

Sabemos que essas "matemáticas" não são comumente quebradas nas contas do futebol, mas podem acontecer. É a luz da esperança para a torcida vascaína. Haja torcida e (muita) reza braba ...

Levanto tudo isso, sob a alegria de ter visto o Vasco vencer ontem depois de tantas tristezas, para que a torcida não se engane. Vamos torcer - primeiro - para o time não cair; e se jogar no ritmo em que está entrando sob o novo comando, não vai acontecer. 

Depois, só depois, de assegurar que a cabeça está fora da guilhotina, vamos cobrar uma posição - pelo menos - na Copa Sul-Americana e um time de respeito para a Copa do Brasil e a temporada de 2024.  Libertadores? Só milagre do tipo Moisés abrindo o Mar Vermelho.

2 comentários:

  1. Muito lúcida as suas pontuações sobre a campanha vascaína no Brasileirão 2023. A primeira batalha foi vencida, mas agora há uma guerra inteira a ser travada no returno. Torcemos para que o Vasco volte a protagonizar campanhas vitoriosas. É saudável para o futebol. Principalmente em um momento em que Flamengo, Fluminense e Botafogo estão no topo da tabela, ou seja o futebol do estado do Rio de Janeiro volta ao seu protagonismo já existente nas décadas de 80 e 90.
    Celso

    ResponderExcluir
  2. Meu caro leitor "anônimo". Agradeço sua visita e seu comentário, por sinal, bem colocado. É um prazer tê-lo aqui no blog. volte sempre.

    ResponderExcluir

Convido você, caro leitor, a se manifestar sobre os assuntos postados na Oficina de Gerência. Sua participação me incentiva e provoca. Obrigado.