15/10 - DIA DO PROFESSOR

15/10 -  DIA DO PROFESSOR
O Dia dos Professores é comemorado no Brasil anualmente em 15 de outubro. A data foi criada para homenagear esses profissionais que dedicam suas vidas à transmissão do conhecimento e ao desenvolvimento da educação no nosso país. Trata-se de um feriado escolar e não faz parte do calendário oficial como feriado nacional ou ponto facultativo. Portanto, é prerrogativa das escolas não ofertarem aula neste dia. O dia 15 de outubro foi escolhido para comemorar o dia do professor, pois em 15 de outubro de 1827, Dom Pedro I, Imperador do Brasil, decretou uma Lei Imperial responsável pela criação do Ensino Elementar no Brasil (do qual chamou “Escola de Primeiras Letras”), e através deste decreto todas as cidades deveriam ter suas escolas de primeiro grau. A comemoração começou em São Paulo, onde quatro professores tiveram a ideia de organizar um dia de parada para celebrar esta data, e também traçar novos rumos para o próximo ano. Esta data foi oficializada nacionalmente como feriado escolar através do Decreto Federal nº 52.682, de 14 de outubro de 1963. O Decreto define a razão do feriado: "Para comemorar condignamente o Dia dos Professores, os estabelecimentos de ensino farão promover solenidades, em que se enalteça a função do mestre na sociedade moderna, fazendo participar os alunos e as famílias". A nível internacional, o Dia Mundial dos Professores é celebrado anualmente em 5 de outubro.

terça-feira, maio 01, 2012

Felicidade pode ser medida? Conheça o FIB, índice da Felicidade Interna Bruta.

Pesquisadores brasileiros da Fundação Getúlio Vargas estão empreendendo estudos para montar um índice de Felicidade Interna Bruta (FIB) exclusivo do Brasil. 
Há pouco tempo li sobre um inédito Relatório da Felicidade Global apresentado pela ONU no início de abril e fiquei curioso sobre o conceito desse FIB que aparece como contrapartida do PIB em vários fóruns dos organismos internacionais. Coloquei abaixo uma figura com a parte 1 do relatório que traz os países "mais felizes" segundo a complexa pesquisa (clique aqui também) que montou o ranking. Observe que a Dinamarca é o país "mais feliz" com a Finlândia em segundo. O Brasil está na 25ª posição.
Confesso que na época não despertou meu interesse, mas agora fiquei curioso porque além do tema fazer parte das discussões da Conferencia Rio+20 tem muita gente debatendo sobre o que seja felicidade de uma nação e eu quero entender esses conceitos e como se mede a felicidade (clique aqui e aqui também).
Lá vou eu para a pesquisa no Google. O melhor resultado que encontrei para a definição do FIB está em um trabalho acadêmico intitulado "Índice de Felicidade Interna, o Produto Interno Bruto das Nações e outros Indicadores Quantitativos. Um Estudo sobre as suas relações" de Cássia Regina Vanícola (cassiavanicola@ig.com.br) - Pontifícia Universidade Católica – SP - cassiavanicola@ig.com.br (clique aqui). Lá está escrito que:
  • "Índice de Felicidade Interna pretende definir a qualidade de vida e o bem estar das nações com uma perspectiva mais holística do que a obtida via definição do PIB."
Ainda utilizando o texto do trabalho:  
  • [...] O termo Índice de Felicidade Interna foi cunhado por Jigme Singye Wangchuck, príncipe do Butão, quando na década de 1970 procurou desenvolver um indicador que expressasse a qualidade de vida naquele país, baseado nos princípios espirituais do budismo. Tal conceito foi baseado na premissa de que o desenvolvimento dos países ocorre quando há sinergia entre aspectos econômicos e espirituais, tendo em vista o desenvolvimento sustentável das nações. Com esta perspectiva em mente, quais seriam então as variáveis que deveriam compor um índice que procurasse medir o nível de satisfação e bem estar dos indivíduos de uma nação? [...]
Na Wikipédia o FIB está apresentado como: [...] "um conceito de desenvolvimento social
criado em contrapartida ao Produto Interno Bruto" [...].

Para completar o entendimento não deixe de assistir a esse vídeo.

Enfim, acho que o leitor já entendeu o que se pretende com o FIB. O foco do post é tão somente o de despertar a curiosidade do internauta para dois pontos:
  1. Inteirar-se de uma discussão que está tomando corpo e será importante no futuro para se fazer macroplanejamentos das nações e mais adiante, certamente, vão também produzir um índice de "Felicidade Interna das Empresas" e até das famílias, por que não?
  2. Saber sobre um estudo que o Brasil está levando a cabo a fim de determinar o seu próprio FIB considerando que o índice utilizado internacionalmente baseado no que foi criado para o Butão está com diferenças consideráveis em relação à realidade do povo brasileiro.
Enquanto o índice brasileiro não sai conheça os itens que fazem parte da composição do FIB internacional. Coloquei abaixo um breve extrato do artigo que está na Folha de São Paulo sobre o assunto. Quem quiser conhecer o texto completo clique aqui.

Se tiver dificuldade na leitura clique sobre o texto para aumentá-lo

Nenhum comentário:

Postar um comentário