21 DE JULHO DE 2024 - DOMINGO - DIA INTERNACIONAL DO TRABALHADOR DOMÉSTICO



Bem vindo

Bem vindo

FRASE DO DIA

FRASE DO DIA

FRASE COM AUTOR

FRASE COM AUTOR

sábado, 24 de julho de 2010

Visões do Cosmos

Meio sem querer deparei-me com este vídeo sensacional que tem quase seis milhões de acessos só no Youtube. Considerando que o encontrei em pelo menos mais uma dezena de sites acho que pode-se dizer que já ultrapassou os 6.000.000 de visitas com facilidade.
Todas as informações que você, leitor, necessitar para entender o vídeo estão no post. 
Recomendo que não deixem de assisti-lo. É uma aula fantástica e fascinante sobre o nosso universo. Não sei como ainda não o havia conhecido. Isso comprova o quão gigantesca é a internet e múltiplas facetas.
"Depois de pairar sobre o Monte Everest e as gargantas que mergulham para o Ganges, você é puxado através da atmosfera da Terra para vislumbrar  do espaço mais alto o deserto do Tibete. Assim começa "O universo conhecido" um novo filme produzido pelo Museu Americano de História Natural, que é parte de uma nova exposição, Visões do Cosmos: A partir do Oceano Láctea para um universo em evolução , no Museu Rubin de Arte de New York City."



(clique na imagem e visite a página com  o texto original e o link para conhecer e folhear a brochura que originou o vídeo) 
"Visões do Cosmos: A partir do Oceano de Leite em um universo em evolução" abrange a história, geografia e religião para examinar as maneiras pelas quais as diferentes culturas vêem o seu lugar no universo. "Oceano de Leite" refere-se ao mar revolto que é centro da criação de uma crença hindu, "Universo em Expansão"", fala a exploração do espaço e dos misteriosos buracos negros do cosmo.
Para uma perspectiva oriental, Visões do Cosmos explora o centro das cosmologias das divindades do budismo, hinduísmo e do jainismo, que encaramos como deuses protagonistas de tudo que acontece. Sob a perspectiva ocidental, imagens que representam a cosmologia centrada no homem do Cristianismo na Idade Média são consideradas, bem como aquelas que representam a transição para uma visão de astrofísica do mundo que adotaram durante o Renascimento.  Seções da exposição em vídeo também são dedicadas às intrincadas construções  cósmicas da cabala e da alquimia.
Um certo número de stupas budistas, criados para abrigar as relíquias de Buda ou de algum  falecido professor e para representar o universo na forma tridimensional estarão na visão como um par de mandalas em três dimensões  que representam um universo perfeito concebido como oferta aos deuses. A exposição termina com fotografias representando atuais descobertas astrofísicas e uma viagem virtual pelo universo através de uma simulação digital criada pelo Museu Americano de História Natural.

Nos últimos 12 anos, Carter Emmart vem coordenando os esforços de cientistas, artistas e programadores para criar uma completa visualização tridimensional de nosso universo conhecido. Ele faz uma demonstração impressionante da viagem e explica como eles estão compartilhando instalações em todo o mundo.
© Museu de Rubin da Arte, www.rmanyc.org e do Museu Americano de História Natural, www.amnh.org
 5.781.042 exibições no Youtube


NOTA - Se você preferir pode assistir, no YouTube, o mesmo vídeo, sem o áudio do professor Emmart e com o mesmo tratamento que recebe no site do Rubin Museum.


ATENÇÂO - "O universo conhecido" foi criado em conjunto pelo Rubin Museum of Art e o American Museum of Natural History (Museu Americano de História Natural). Ele aparece como parte da exposição " Visões do Cosmos: A partir do oceano leitoso  a um universo em desenvolvimento "no Rubin Museum.
 Este filme é um recurso digital de ambos os museus. Estes acervos digitais são protegidos por direitos autorais e leis de marcas, e são de propriedade dos dois museus. Salvo disposição em contrário, você pode imprimir ou baixar os ativos digitais para fins informativos, pequenos grupos em sala de aula, e outros fins não comerciais desde que você inclua o seguinte aviso de direitos autorais junto ao recurso, com a URL de um link ao vivo em ambientes digitais:
Você não pode reproduzir, gravar, publicar, modificar ou distribuir bens digitais para fins comerciais ou geradores de receitas, sem prévio consentimento por escrito do Museu de Rubin de Arte ou o Museu Americano de História Natural. Os pedidos de uso comercial de bens digitais ou dúvidas sobre se um determinado uso é permitido ou exige o consentimento escrito devem ser enviadas para: webmaster@amnh.org

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Convido você, caro leitor, a se manifestar sobre os assuntos postados na Oficina de Gerência. Sua participação me incentiva e provoca. Obrigado.