21 DE JULHO DE 2024 - DOMINGO - DIA INTERNACIONAL DO TRABALHADOR DOMÉSTICO



Bem vindo

Bem vindo

FRASE DO DIA

FRASE DO DIA

FRASE COM AUTOR

FRASE COM AUTOR

sábado, 18 de setembro de 2010

Neymar, jogador do Santos e da seleção é um péssimo exemplo...

Não gosto de  me aproveitar dos fatos momentosos e sensacionalistas para servir de "chamativo" aos posts do blog. Normalmente deixo passar um tempo e se o tema puder ser desenvolvido na direção da orientação para o bom comportamento social e corporativo é que eu coloco na Oficina de Gerencia.
É precisamente este o caso que quero comentar aqui. Falo da demonstração absurda  de indisciplina, falta de respeito, educação social e desportiva e de imaturidade de Neymar, jogador do Santos e da seleção brasileira. O que ele fez foi uma das mais estapafúrdias e espalhafatosas manifestações públicas de insubordinação, revelação de um caráter vítima de má formação e tudo que se queira rotular nesse sentido.
Naquela noite, se fosse eu o pai daquele garoto birrento e mimado teria morrido de vergonha diante das bizarrices que ele fez. O que Neymar exibiu diante do mundo inteiro foi antes de tudo um comportamento de desrespeito aos seus próprios pais e à sua família. Mostrou que além de ser um jovem despreparado para a fama que tanto buscou é alguém cuja educação doméstica não se completou.
Fosse ele um daqueles muitos companheiros de profissão criados em favelas e vivendo em condições miseráveis dir-se-ia que era culpa do meio social em que vivera.  Não é o caso. 
Como é publica e notória a dependência dele em relação à figura paterna é lógico supor que aquela “explosão de menino mimado” faz parte de uma má educação e por tabela atinge seus pais.
Palavras corretas e certeiras foram as do técnico Renê Simões, do Atlético Goianiense ,que é um dos profissionais mais respeitados na corporação do futebol (o segundo vídeo é o da declaração dele). Ali, naquele show de desrespeito, estava o trailer de um filme de terror que pode estar  sendo produzido.

http://www.lancenet.com.br/resources/5449839.jpg
Panos Quentes
O pior é que o mundo do futebol (comentaristas, dirigentes, companheiros e principalmente seu empresário) está – como sempre tem feito em casos semelhantes de atletas famosos - colocando “panos quentes” sobre o episódio. 
A desculpa (esfarrapada) é que Neymar tem apenas 18 anos e é muito jovem para suportar as responsabilidades de um ídolo que tem um dos maiores salários no futebol brasileiro e um talento fora do comum. Ora bolas! Isso é lá desculpa para as insubordinações e quebras de regras estabelecidas? 
Cá no universo das empresas, dos negócios e das corporações esse tipo de comportamento não é aceitável por seja lá quem for. Nesse mundo, que é o meu e certamente o  de muitos leitores do blog, o cara pode ser o maior craque na sua profissão, mas se desrespeitar o chefe, seus colegas ou o ambiente de trabalho vai pagar um preço altíssimo a curto, médio e longo prazos. E a idade não será desculpa jamais.

Desculpas ou farsa?
Coloquei cinco vídeos sobre o assunto. Para quem queira entender o case e tirar suas conclusões é o suficiente. Cada um dos vídeos aborda um tópico do assunto. E quero encerrar destacando quatro pontos nisso tudo:
  • Falso arrependimento. 
O Neymar pediu “desculpas” que até chegou a chamar de “perdão”. Segundo minha própria experiencia na leitura das expressões corporais o seu gesto de arrependimento não é sincero. Veio a público desculpar-se por pressão dos pais, dos diretores do Santos e principalmente em função da sua imagem milionária. Intimamente ele não pareceu estar nem um pouco arrependido. Espero estar errado.
  • “O tempo é o senhor da razão”
É o futuro quem dirá se este jovem mal-educado e péssimo exemplo para as crianças que o fazem ídolo realmente está arrependido. Direi que infelizmente ele tem um talento gigantesco, pois se não o tivesse já estaria com sua carreira enterrada. Ficarei surpreso se Neymar não protagonizar, em breve, outro piti. 
  • Bons exemplos
Não posso encerrar este artigo sem lembrar exemplos de outros jovens tão ou mais brilhantes na arte de jogar futebol (sem falar em outros esportes) que não trilharam o caminho que o Neymar está seguindo. Cito o "Rei do Futebol", claro, Pelé que é o maior exemplo de tudo que se possa dizer em contraposição ao mau exemplo exibido pelo atual jogador do Santos. Posso ainda falar de Kaká e de Messi para não ficar só nos brasileiros.
  • Maus exemplos
http://oglobo.globo.com/fotos/2010/07/08/08_MHG_bruno-flamengo.jpg
Do lado dos maus exemplos o do goleiro Bruno ex-Flamengo e de outro excepcional jogador brasileiro chamado Djalminha (clique aqui também para vê-lo em ação que vale a pena) cujas carreiras foram tremendamente prejudicadas por seus temperamentos mal educados e rebeldes sem controle. 
Neymar terá que ser punido exemplarmente pela diretoria do Santos se  ela quiser  preservar o seu bom técnico Dorival Junior e o que sobrou de harmonia na corporação de jogadores. Se não o fizer, se tentar  atenuar o comportamento de Neymar em nome do seu estrelismo vai causar  uma implosão psicológica no ambiente do grupo de jogadores e quebrar de vez a relação entre comandante e comandados. Aliás, eu acho que isso já aconteceu. Se eu conheço bem essas coisas digo que o mal já foi feito. A porcelana já foi quebrada.
De tudo isso há alguém que deve estar feliz pelo que Neymar revelou com sua falta de profissionalismo. É a diretoria do Chelsea, o clube inglês que pagaria alguns milhões de euros para ter o jogador em seu elenco. Quando o Neymar recusou a proposta milionária do clube inglês os seus dirigentes chamaram-no de “louco”. Parece que eles estavam certos...

O "show" do garoto mimado
Comentário certeiro de Renê Simões
Quem fala é Mano Menezes o tecnico da seleção brasileira
As "desculpas" de Neymar
Depoimentos de  jogadores veteranos

2 comentários:

  1. Você nota como um país é moralmente deficitário pelas pessoas que ele escolhe idolatrar. Não falo de celebridades de minutos, mas de pessoas que vão entrar na sua casa e servir de exemplo para seus filhos durante anos. Agora se discute o caso deste indivíduo, mas alguém lembra das "proezas" de Edmundo quando jogava? Alguém lembra do Viola? Só para citar dois exemplos de comportamentos grotescos, para dizer o mínimo. Esses jogadores e suas mentes deturpadas por rios de dinheiro que nenhum trabalhador brasileiro jamais sonhou em ganhar são uma caricatura triste de um país que é berço de atletas como João do pulo, Adhemar Ferreira da Silva, Ayrton Senna e Pelé. Atletas que jamais envergonharam o desporto nacional com chiliques e falta de ética. Atletas que ganharam nomes na história pelas suas qualidades e não pela sua falta de compostura e educação. Não consigo mais torcer pelo futebol brasileiro, que hoje é só um esboço do que já foi. Qualidade técnica? É isso que define uma grande equipe? Não, não é. Uma grande equipe é sedimentada em valores como a união, abnegação, amor ao país que representa. Que o indivíduo seja uma mescla perfeita do todo e não o contrário. Que o jogador represente a seleção ou o seu clube e não o contrário. Que nós brasileiros não permitamos que um indivíduo com dinheiro no banco e um penteado de mau gosto encha nossas crianças de ainda mais maus exemplos ou vai chegar o dia que nem força para achar isso errado conseguiremos ter.

    ResponderExcluir
  2. Caro anônimo,
    Grato pela visita e pelo comentário.
    Volte e sempre e de preferência utilize o link de identificação que está no mesmo cantinho onde você fez os comentários.
    Grande abraço

    ResponderExcluir

Convido você, caro leitor, a se manifestar sobre os assuntos postados na Oficina de Gerência. Sua participação me incentiva e provoca. Obrigado.