16 de mai. de 2021

Bruno Covas - Morre um jovem líder politico da futura geração do Brasil

 


Toda morte de um homem público, seja político, artista ou um atleta famoso, é lamentável; mas queiramos ou não, existem gradações.

Quando é um personagem mais antigo que faz sua passagem a opinião pública, de certa maneira, chora a história, o legado e a ausência permanente que aquela morte representa.

Todavia, se é alguém jovem, na flor da idade e com um futuro promissor já delineado, o lamento é diferente.

Assim é o caso da morte de Bruno Covas ocorrida no dia de hoje, 16 de abril de 2021., com 41 anos. Jovem, carismático, vencedor, carreira sólida em ascensão e um futuro que se assegurava, além de meramente prometedor, no mundo político brasileiro.

Nesse espectro político do Brasil, raros são os jovens que podemos apontar como promissores. Poucos, mesmo. Tanto é que nossa política vem sendo conduzida há muito tempo por importantes homens públicos de gerações que remontam à segunda metade da década de 40 (75 anos) e da década de 50 (70 anos). É lenta a transmissão do poder no mundo político.

Bruno Covas era um desses jovens políticos que, como ele, geravam confiança na opinião pública. Por isso o lamento é maior do que o normal, porque ele vem também da morte de uma parte da esperança; esperança que temos para que seja inabalável e preservada as passagens do bastão entre as atuais e futuras gerações dos homens que vão conduzir os destinos do Brasil pelos próximos trinta anos.

Para melhor ilustrar este comentário do blog, transcrevi abaixo um artigo do jornalista e professor titular de Teoria Política da UNESPMarco Aurélio Nogueira, de O Estado de S.Paulo.


Clique aqui e visite a home page do jornal

Um vazio a ser superado com o tempo

Marco Aurélio Nogueira*, O Estado de S.Paulo

16 de maio de 2021 | 10h14

A morte do jovem prefeito de São Paulo, Bruno Covas (PSDB), aos 41 anos de idade, tira da política brasileira uma de suas mais promissoras lideranças.

 Advogado, economista, deputado estadual, secretário de Meio Ambiente de São Paulo, presidente do Juventude do PSDB e deputado federal, Bruno foi um militante das boas causas. Neto do ex-governador do estado de São Paulo, Mário Covas, não herdou a personalidade explosiva do avô. Sensível, educado, cordial, sempre disposto a negociar, construiu importante patrimônio político nesse país envolvido em sérias dificuldades. 

É um golpe antes de tudo para sua família, para seu filho Tomás, muito apegado a ele, para os inúmeros amigos e companheiros com quem conviveu em sua curta e intensa vida. 

É um golpe também para a cidade de São Paulo, que o reelegeu para um segundo mandato na Prefeitura em 2018, prêmio por uma gestão meticulosa, sem estardalhaço, ciente de que as realizações precisam ser dosadas para serem viáveis. Pode não ter agradado a todos, mas mereceu o respeito de todos, inclusive dos adversários. O que virá depois dele, com a posse do vice-prefeito Ricardo Nunes (MDB), ainda é uma incógnita, por mais que compromissos de continuidade tenham sido publicamente assumidos.

O vazio deixado por Bruno Covas será sentido de modo particular no PSDB, seu partido, que não atravessa bom momento e não mostra força no jogo político. Bruno queria retomar a orientação original tucana, de perfil social-democrático. Buscava aproximar as alas partidárias que hoje se engalfinham numa luta interna tóxica, contaminada pelas eleições de 2022, a que se dedica intensamente o governador paulista João Doria. 

Bruno Covas fará falta na vanguarda de uma articulação interessada em qualificar o que tem sido chamado de centro democrático, composto com a direita liberal e a esquerda social-democrática, numa frente que se proponha a ser o vetor de uma coalização que mantenha e aprofunde a democratização no País, combinando-a, firmemente, com um reformismo social a cada dia mais indispensável. Fazer com que essa perspectiva ganhe corpo e se viabilize será uma homenagem à memória de Bruno.

9 de mai. de 2021

Homenagem da Oficina de Gerencia às mães de todos nós.

Simples e direto.
Achei nesse quadrinho a essência exata e bem humorada do que são as nossas mães.
Ofereço-o com a forma do blog homenagear as nossas mães.



 

7 de mai. de 2021

Sono em reuniões chatas? Aprenda a dribla-lo.

http://2.bp.blogspot.com/-_A88hDZfX4Y/Tsgo7ZDifuI/AAAAAAAAAvE/1A3rfN_ddlo/s1600/boring-meeting.jpg


É muito divertido navegar na Internet procurando imagens no Google e entrar nos sites e blogs que aparecem. São coisas inimagináveis que encontramos. É um show de novidades. Nunca fiquei frustrado ao investir na busca de imagens e qualquer tipo de coisa no Google.

O banner acima intitulado "Como Ficar Acordado em Reuniões Chatas" é um bom exemplo disso. Nem lembro mais o que estava procurando, mas não era nada sobre reunião e então encontro a figura. O banner é ótimo! Ele está muito difundido na rede, mas vale à pena reproduzi-lo aqui para ilustrar o tema do post.

Falar sobre as reuniões chatas me parece ser um pleonasmo daqueles dantescos.  A priori toda reunião é chata. 

Outro dia mesmo conversei com um amigo que ainda está em atividade e ele desabafou comigo que não consegue mais trabalhar tal é a quantidade de reuniões que estão acontecendo na sua organização. Pior do que isso que as reuniões são absolutamente inócuas e as chefias não se dão conta. Imagine uma insensatez dessas!. Um verdadeiro show de ''non sense'' corporativo. 

Confessou-me que na semana passada mesmo chegando às oito horas por causa de uma reunião - que na verdade começou às nove - só conseguiu chegar na sua sala após as 18 horas porque durante todo o dia saiu de uma reunião para entrar em outra e assim participou de seis reuniões diferentes no mesmo dia.



Na minha memória foram maioria as reuniões, das centenas que devo ter feito em mais de 30 anos de carreira, que podem ser classificadas de chatas. Quero dizer aos mais jovens que elas são inevitáveis. Nenhum "habitante" do mundo corporativo está livre delas. Ainda mais nos dias de hoje quando o mundo inteiro parece estar sofrendo da famosa epidemia corporativa que eu chamo de "reunite aguda".

Mas não estou aqui para falar especificamente sobre reuniões (Argh!) e sim para mostrar como não dormir nelas, Ops! Direi melhor, como ficar acordado nessas megeras da vida corporativa.

Posso dizer que já testei quase todas as dicas que estão no Google sobre como "sobreviver às reuniões chatas", exceto fazer a ginástica do polichinelo. Substitui-a por aquelas corridinhas paradas que a gente vê muito nos treinos de futebol. Todas essas "técnicas" funcionam por algum tempo, mas o único remédio eficaz contra uma reunião chata é abreviar o seu final.

Recomendo que assistam ao vídeo (abaixo) que apresenta uma excelente entrevista com Christian Barbosa presidente da Triadespecialista em gestão do tempo. Ele fala sobre reuniões e a perda de tempo. O cara conhece muito e emite ótimos conceitos.


Christian Barbosa, neste vídeo explica como fazer reuniões altamente produtivas.


Este post foi originalmente publicado em 09/09/2010 e pela sua oportunidade e numero de acessos resolvi atualizá-lo e traze-lo para a data atual.

4 de mai. de 2021

Hoje, 4 de maio, é Dia de Star Wars – Descubra como se originou



Como fã incondicional da saga do Star War não poderia deixar passar no blog o registro do Star War Day. Não sou daqueles que tem a fantasia e vai para os meetings curtir, mas não perco nenhum filme deles.

Como sei que o fã clube é imenso e tenho certeza de que muitos dos leitores da Oficina de Gerência também são vidrados no Luke Skywalker, Han Solo, Obi Wan Kenobi, DarthVader, Yoda, Chewbacca, Princesa Leia, R2-D2 e C3PO, resolvi publicar este artigo que achei no site Funstock (clique no link abaixo do logotipo) para comemorar.

Se quiser ler mais sobre Star War clique aqui e escolha quaisquer dos 761.000.000 de links que o Google abre para você.


origem do dia de star wars

 

Clique aqui e visite o site

Dia de Star Wars – Descubra como se originou

Guerra nas Estrelas é considerado um dos maiores fenômenos da cultura geek da história, pois não só mantém fãs fiéis como também segue conquistando as novas gerações, mesmo após mais de 40 anos de lançamento do primeiro filme. O Dia de Star Wars (Star Wars Day) é celebrado no dia 4 de maio pelos fãs da saga criada pelo cineasta George Lucas.  

Entenda a origem do Dia de Star Wars e porque essa data foi escolhida como feriado no mundo geek: Que a força esteja com você” é a saudação Jedi equivalente a soma de uma despedida e desejo de boa sorte, ou de coisas boas em geral. Atualmente, a frase tornou-se parte do vocabulário popular e se expandiu para além dos limites da geeklândia. A saudação também é utilizada pelos fãs para reconhecerem uns aos outros, e é fator determinante para que o Dia de Star Wars seja comemorado neste dia.

Explicando o trocadilho

Nos EUA, terra-natal de George Lucas e base que concentra parcela significativa dos fãs de Star Wars, a leitura dos calendários é diferente que a utilizada no Brasil: lá, lê-se primeiro o mês e depois o dia, que por sua vez é utilizado em formato ordinal.

Descubra porque existe o dia de star wars


Em inglês, o dia 04 de maio é lido como “may fourth”, que foneticamente é muito semelhante com a saudação Jedi “may the force be with you”. Por isso, nessa data ao invés de desejar “feliz dia de Star Wars”, os fãs usam um trocadilho entre a saudação Jedi clássica e a data: “May the fourth be with you”.

Margaret Thatcher e sua ligação com o Dia de Star Wars

Quem já ouviu falar da ex-primeira ministra britânica Margaret Thatcher deve estar pensando que leu errado o título acima, ou que estamos criando alguma teoria tão maluca quanto aquelas postadas em fóruns de Matrix. Mas não se preocupe, fizemos questão de verificar a origem dessa data tão especial para os fãs da saga de George Lucas com muito cuidado. Não é loucura: até a Dama de Ferro da Inglaterra teve relação com a escolha dessa comemoração.

a origem do dia de star wars


De acordo com o site oficial da saga Star Wars, uma das primeiras menções ao 04 de maio aconteceu no ano de 1979, quando Margaret Thatcher foi eleita como a primeira mulher a ocupar o cargo de primeira ministra da Inglaterra. Seus apoiadores veicularam no jornal London Evening seu apoio através de um anúncio de meia página com os dizeres: “May the Fourth be with you, Maggie. Congratulations.” (que a força esteja com você, Maggie. Parabéns).

Como comemorar o Dia de Star Wars?

Como fãs, acreditamos que a forma como você comemora o Dia de Star Wars é apenas um detalhe: o importante mesmo é comemorar com os outros fãs e demonstrar seu amor pela saga para todas as galáxias. Seja para você ou para algum Jedi obcecado que esteja presente na sua vida, a melhor maneira de comemorar é expressando sua admiração e entusiasmo pela saga. Decore os ambientes ou então presenteie aquele fã de carteirinha com coposbottons ou até mesmo uma mochila: vale de tudo para inserir Star Wars de uma maneira visível na sua vida e celebrar essa data especial.

1 de mai. de 2021

Quem sabe vender idéias para o chefe?





Só com a experiência pessoal e não necessariamente nos ambientes de trabalho, se aprende o ofício de "vender ideias". Um exemplo é que desde cedo, mesmo nas crianças, podem ser percebidas a naturalidade e a esperteza delas  ao "vender" seus pedidos para nós, adultos. 

Na adolescência, também conhecemos muitos exemplos de jovens que já desenvolvem habilidades de convencimento para "negociar" com razões e argumentos para alcançarem o que desejam. E assim vão acumulando experiência. Aprendendo as artimanhas, ganhando umas e perdendo outras, burilando o estilo pessoal de negociar.

É disso que estou falando. Vender ideias não se aprende nas escolas e universidades. Também não é um "dom"; ninguém nasce com essa aptidão. Ao longo da vida  - desde muito cedo - vamos aprendendo e aperfeiçoando a "tecnologia" para encantar, seduzir, agradar, envolver e "enfeitiçar" à pessoa que é o nosso "cliente".

Exatamente isso! Quem tem o pendor e o talento de saber vender ideias precisa fascinar e conquistar seu "comprador" e transformar o seu propósito como sendo o dele. Vender ideias é isso!  

Abaixo, está um ótimo artigo que encontrei na internet, abordando o tema de forma diferente e fora do lugar comum dos textos habitualmente produzidos pelos consultores e especialistas do mundo corporativo.

A questão colocada é sobre se você sabe como fazer para o "seu chefe" comprar uma ideia que você esteja lhe apresentando". Você sabe? Tem as manhas? Excelente! Então não prossiga com a leitura do artigo; mas se faz parte da imensa multidão dos que não sabem ou sabem "mais ou menos", recomendo que conheçam o texto de Luiz Paiva que escreve com muita propriedade e vivência das questões corporativas.

"Reuniões: Traga o chefe para seu lado"



Ter o apoio da liderança para os objetivos de uma reunião cria uma base sólida para que as outras etapas se desenvolvam com fluidez.  Os americanos possuem um termo bastante adequado para isto: “leadership buy-in“ (aceitação da liderança)

Este termo equivale a quando os cargos mais altos na hierarquia “compram uma ideia”.  Se você quer que os participantes de uma reunião valorizem o que será discutido e tomem ações efetivas para cumprir o combinado, é fundamental a sensação de que o tema é importante para a organização e não apenas para alguns indivíduos.   Pior ainda, se o chefe demonstrar indiferença com o assunto, aí você realmente enxergará um esvaziamento das discussões e perda de interesse da equipe.

Na pesquisa que fizemos, apenas 38,73% dos respondentes disseram que o chefe sempre está por dentro dos temas das reuniões e aprovou seus objetivos. Na grande maioria dos casos, ou ele apenas sabe por cima o que acontece ou está totalmente por fora e acaba atrapalhando a reunião.  Esta claramente não é uma situação favorável para conduzir uma reunião.

Mas como garantir que seu chefe se alinhe com os objetivos da reunião?

1) Valide
Muitas vezes estamos tão absorvidos em um tema que nos esquecemos de ter uma visão externa para garantir que aquilo que estamos desenvolvendo faz sentido.   Discuta os objetivos da reunião não apenas para convencê-lo a apoiar, mas também para que estes objetivos sejam redirecionados para que surtam mais efeitos para a organização.

2) Simplifique
Quanto mais acima a pessoa está na hierarquia, menos ela terá tempo para discutir muitos detalhes.  Você deve dominar a arte da simplicidade na comunicação, para que consiga explicar os objetivos e informações da reunião de forma estratégica/tática, para ajudar seu chefe lhe ajudar.

Antes da reunião, entregue a seu chefe um resumo didático dos temas da reunião e das principais informações de cada tema.  Isto permitirá que ele participe de forma mais proativa e consiga realmente alavancar os resultados da reunião.

3) Crie oportunidades
Durante a reunião, é fundamental dar oportunidades para que o líder se manifeste e ajuste o rumo das discussões se for necessário.  Normalmente isto acontece de forma natural, mas se um tema é excessivamente técnico, específico ou operacional, cabe a quem está coordenando a reunião puxar o tema para o lado tático/estratégico em determinados momentos para reinserir o líder na discussão.

4) Dê seguimento
Depois da reunião (ou em seu final), discuta com o líder se ele acredita que os objetivos foram atingidos e se tem alguma orientação adicional em relação às decisões que foram tomadas.   Isto cria um clima de propriedade e responsabilidade de baixo para cima, que também ajuda na implementação das ações definidas.
.

Autor : Luiz Henrique de Paiva José
graduado em Engenharia Elétrica pela Unicamp, e pós-graduado em Gerenciamento de Projetos pela FGV. Certificado PMP (Project Managament Professional) pelo PMI (Project Management Institute).
Proprietário da Avantta Consulting

. 

25 de abr. de 2021

Cantinho do TED - A sua linguagem




Estou, com este post, criando um novo espaço, uma nova tag na Oficina de Gerência. Vai se chamar "
Cantinho do TED".

Para que não conhece, o que é o TED? 

TED é o acrônimo para Tecnologia, Entretenimento e Design

É uma organização não lucrativa cujo lema é "Ideas worth spreading" (ideias que vale a pena disseminar). Essa disseminação se dá por meio dos "TED Talks" que são palestras de até 18 minutos com pessoas que têm algo muito interessante para compartilhar.” (definição no site oficial do TED- Clique aqui (para quem não lê em inglês, use a tradução do próprio Google).

Na imagem abaixo estão os dados oficiais do TED: 

No Brasil, assim como em vários países de todos os continentes, existe pelo menos uma organização derivada do TED. 

"A TEDx Brasil é uma versão independente, não é filial, mas sua metodologia é a mesma da instituição original. "O programa TEDx ajuda comunidades, organizações e indivíduos a produzir eventos no estilo TED em nível local. Os eventos TEDx são planejados e coordenados de forma independente, comunidade por comunidade, sob uma licença gratuita do TED."  Clique aqui para conhecer o TEDxSão Paulo. 

Muito bem, apresentado o TED - para quem não o conhecia -  vamos inaugurar o "Cantinho do TED" na Oficina de Gerência. A ideia é apresentar um post por semana, trazendo vídeos de palestras sobre assuntos que estejam contidos no "core business" do blog. As palestras podem ser em inglês com legendas ou no nosso idioma quando o palestrante for brasileiro. 

Escolhi com première no Cantinho do TED a palestra intitulada "Como a linguagem modela nossa forma de  pensar" (clique sobre o link do título). A palestrante é a cientista cognitiva Lera Boroditsky

É uma palestra que, certamente, vai fazer pensar quem a assistir.


"A beleza da diversidade linguística revela para nós a engenhosidade e a flexibilidade da mente humana". (Leraq Boroditsky)

22 de abr. de 2021

Importante não é Urgente. Fuja do Stress.





Não vou aqui, ter a veleidade de escrever um artigo sobre estresse no sentido amplo do que ele representa na atividade humana. Se consultarmos o termo no Google  vamos encontrar 16.500.000 resultados, logo.... 

O meu propósito  é colocar o estresse no contexto da Oficina de Gerência e dar oportunidade, aos leitores,  de conhecer um pouco mais desse "vírus" que faz parte da condição humana  seja no ambiente do trabalho ou fora dele. Vamos lá?

 Está na Wikipédia: "Estresse (português brasileiro) ou stresse (português europeu) pode ser definido como:
  • (a) a soma de respostas físicas e mentais causadas por determinados estímulos externos (estressores) e que permitem ao indivíduo (humano ou animal) superar determinadas exigências do meio ambiente e 
  • (b) o desgaste físico e mental causado por esse processo."
No site Saúde e Vida On Line está lá escrito:

O que é o Estresse?

"O "ESTRESSE" é o resultado de uma reação que o nosso organismo tem quando estimulado por fatores externos desfavoráveis. A primeira coisa que acontece com o nosso organismo nestas circunstâncias é uma descarga de adrenalina no nosso organismo, e os órgãos que mais sentem são o aparelho circulatório e o respiratório.

No aparelho circulatório a adrenalina promove a aceleração dos batimentos cardíacos (taquicardia) e uma diminuição do tamanho dos vasos sanguíneos periféricos. Assim, o sangue circula mais rapidamente para uma melhor oxigenação, principalmente, dos músculos e do cérebro já que ficou pouco sangue na periferia, o que também diminui sangramentos em caso de ferimentos superficiais.

No aparelho respiratório, a adrenalina promove a dilatação dos brônquios(broncodilatação) e induz o aumento dos movimentos respiratórios (taquipneia) para que haja maior captação de oxigênio, que vai ser mais rapidamente transportado pelo sistema circulatório, também devidamente preparado pela adrenalina.

Quando o perigo passa, o nosso organismo para com a superprodução de adrenalina e tudo volta ao normal. No mundo de hoje as situações não são tão simples assim e o perigo e a agressão estão sempre nos rodeando. Por isso a reação do organismo frente ao stress é de taquicardia, palidez, sudorese e respiração ofegante. Pode haver também um descontrole da pressão arterial e provocar um aumento da pressão à níveis bem altos, mas não significa que a pessoa seja hipertensa."






Ou seja, todo mundo sabe o que é estresse e o que é "estar estressado(a)". E por que cargas d'água não conseguimos nos livrar dele? Sabemos o mal que ele nos causa; sabemos como é que o "adquirimos"; sabemos o que fazer para nos livrarmos dele ou pelo menos administrá-lo, mas não fazemos nada disso. Pelo menos a maioria de nós habitantes do planeta Terra não faz. Confesso que me incluo a contragosto nesta "multidão".

Pois bem, deparei-me com um belo artigo do palestrante e especialista em administração de tempo Christian Barbosa. Muito bem escrito e com boas colocações o artigo tem o dom de resumir e indicar saídas para amenizarmos o estresse do dia a dia. Eu gostei muito e por isto quero compartilhá-lo com vocês.

Ao final coloquei um vídeo que copiei do site Você Com Mais Tempo  (da revista Você S.A.) que é um dos mais interessantes e completos que hei visto nos últimos tempos. Vale a pena clicar e navegar por ele. Assista ao vídeo e conheça a diferença entre importância e urgência. Parece incrível, mas muita gente não sabe diferenciar as duas coisas. Saia dessa "turma" assistindo o vídeo.





Fuja do Estresse Diário



Todo mundo reclama que não tem tempo para nada, nem para cuidar de si mesmo, mas o corpo é extremamente sábio e quando ele quer, manda uma doença que faz você ficar de cama e ter tempo para você; nesse momento descobrimos que nem todas aquelas urgências eram tão urgentes assim, que boa parte da correria era apenas a nossa própria ansiedade querendo fazer acontecer.

Uma pesquisa realizada pelo laboratório paulista Fleury, com cerca de 2,7 mil funcionários, revela que o estresse, a obesidade e o sedentarismo são fatores que não só afetam a qualidade de vida das pessoas como interferem diretamente na produtividade delas no trabalho.

O estudo apontou que 11,7% dos entrevistados faltaram ao trabalho pelo menos um dia durante o período de três meses e 6,8% deles estiveram ausentes por quatro ou mais dias no emprego. “Esse índice de afastamento está ligado ao nível de estresse do profissional”, afirma Marcos Bosi Ferraz, coordenador do núcleo de pesquisa aplicada do Fleury. “Aqueles que apresentam estresse mais elevado, sem dúvida, acabam ficando mais tempo fora da empresa. Mesmo quem tem nível de estresse moderado possui o dobro de probabilidade de faltar em relação aos não estressados.” Uma amostragem com 600 pessoas, revelou que os problemas ligados ao trabalho (42,7%) são a principal causa de estresse, seguida dos financeiros (36,3%) e dos familiares (30,3%).

O pior desse cenário é que o trabalho não precisava ser tão estressante assim se adotássemos algumas pequenas dicas de produtividade diária. A principal delas é colocar momentos importantes pessoais durante nossa rotina de trabalho, como por exemplo, um almoço com a família e os filhos em um dia da semana, uma saída alguns minutos mais cedo para ir ao cinema com a esposa, um passeio no parque com o namorado, etc. Quando colocamos atividades com “sentido” em nosso dia a dia reduzimos a nossa sensação de estresse e começamos a ter mais prazer.

Outra dica é agir para reduzir as urgências criando atividades de prevenção, como por exemplo, analisar diariamente suas atividades para os próximos três dias e criar tarefas que evitem que algo se transforme em uma urgência. Anote a atividade e execute-a enquanto ela ainda é importante, e não está na esfera das urgências.

Evite acumular suas férias, e sempre que possível tire férias ao longo do ano, em períodos de 5 dias (que acabam se transformando em 9 dias com os sábados e domingos). Aproveite esses momentos para relaxar e recarregar as energias, esquecendo um pouco das tensões diárias.

É possível viver com menos estresse e mais qualidade de vida, é uma escolha consciente que você pode fazer ao invés de se tornar um refém das circunstancias e do estresse!
O autor do artigo, Christian Barbosa, é especialista em gestão do tempo e produtividade pessoal. Diretor da Tríade do Tempo, autor do Livro "A Tríade do Tempo" - Editora Campus.