domingo, 19 de dezembro de 2021

Ronaldo Fenômeno e Cruzeiro fazem história no futebol brasileiro

 

Surpreendeu o mundo do futebol profissional  e dos negócios  a compra do setor de futebol do Cruzeiro Esporte Clube, de Belo Horizonte pelo ex-jogador Ronaldo Fenômeno, hoje homem de negócios e empresário com um investimento de 400 milhões de reais.

"A negociação é a primeira da história do país desde que a LEI Nº 14.193, DE 6 DE AGOSTO DE 2021 foi aprovada. Segundo a nova legislação, os clubes brasileiros podem virar empresas dedicadas à prática do futebol, e assim alavancar a capacidade de captação de recursos, como nos maiores mercados de futebol no mundo".

A nova legislação “Cria a figura da Sociedade Anônima do Futebol, cuja atividade principal consiste na prática do futebol em competições profissionais, define seu financiamento, administração, governança e controle; e estabelece regime especial de apuração de tributos federais aplicável à espécie.

Não vou aqui entrar em detalhes sobre a transação, pois isso está fartamente noticiado em todas as mídias do brasil e do mundo. Realmente foi uma “notícia-bomba” que pegou o meio esportivo e negocial de surpresa.

Gostei de uma frase do Ronaldo investidor quando adquiriu o Valladolid da Espanha. Disse ele:

Uma coisa em que estamos trabalhando é na análise dos mercados. Não soa muito animador mas não tem outro jeito. Temos que adquirir o gerenciamento do clube e não a sua emoção, porque isso pertence ao torcedor. Queremos crescer nos dois lados.”

Vamos ao que interessa. Quais os efeitos dessa transação? Vou listar para facilitar  o entendimento dos leitores:

  1. Consolida uma das ansiedades mais discutidas e esperadas no futebol brasileiro. A de abrir caminhos para que grandes clubes (e pequenos também) possam receber aportes financeiros como S/A (Sociedade Anônima) tendo que se submeter a uma legislação específica;
  2. Abre caminho para que novos investidores quaisquer, possam comprar a gestão dos departamentos de futebol dos clubes. Não é correto se dizer que “Ronaldo comprou o Cruzeiro”, mas sim que comprou a gestão do futebol do Cruzeiro. Na verdade pagou 400 milhões de reais por 90% das ações da SAF Cruzeiro. O clube é muito mais que o futebol;
  3. Abre espaço para um campo profissional pouco explorado no Brasil que é o dos investidores  e  “administradores/gerentes de futebol”. Certamente com a promulgação da LEI  14.193  e com a crônica má gestão financeira (salvo a exceções ) serão muitos os clubes de futebol que vão correr atrás da modalidade.

Uma notícia paralela que vai mexer no mundo do futebol também, é a de que o Liverpool estava interessado na compra do Cruzeiro (futebol) e fez proposta. Houve portanto concorrência no negócio. Quem sabe outros clube de porte internacional não se tornarão grandes investidores no futebol brasileiro.

Creio que os torcedores do Cruzeiro, como também de todos os grandes clubes brasileiros gostaram na notícia. São muitos que estão na mesma situação do Cruzeiro ou seja, repetindo temporada na 2ª divisão (Vasco, Bahia, Sport) e voltando a ela (Grêmio). 

Vai ser muito interessante para os estudiosos de administração e gerência acompanhar o trabalho do grupo liderado pelo Ronaldo para tirar o Cruzeiro da série B do futebol brasileiro, onde permanece por três temporadas  seguidas.

Ele agora será responsável pelo destino de um tradicional e vitorioso clube brasileiro, com uma massa enorme de torcedores – bem diferente do pequeno Valladolid - e enfrentando um desafio gigantesco em sua vitoriosa carreira, pois Ronaldo também se tornou solidário à dívida de R$ 1 bilhão do clube celeste. É um desafio e tanto!

Todos os que amam o futebol(e eu sou um desses) gostaram muito dessa notícia. Era algo que estava faltando no universo desse tão maltratado futebol brasileiro. Apoio de torcidas, e não só do Cruzeiro não vai faltar ao Ronaldo e seu grupo de investidores. Tomara que dê certo.

Nenhum comentário:

Postar um comentário