27 DE MAIO DE 2024 - 2ª FEIRA - DIA DO PROFISSIONAL LIBERAL



Abraço do blog




FRASE DO DIA

FRASE DO DIA

FRASE COM AUTOR

FRASE COM AUTOR

terça-feira, 27 de junho de 2023

Procrastinação é um hábito adquirido ou genético e tem correção.

 


''O que é o ato de procrastinar?

Procrastinar é a ação de postergar ou atrasar algo, como uma tarefa, compromisso ou atividade. Isso é feito principalmente se dedicando a outras tarefas – muitas vezes, de menor importância e mais prazerosa.'' (Google)

Algum de vocês já observou que todos nós, de uma forma ou de outra somos "praticantes" da procrastinação? Em algum ou vários momentos de nossas existências já adiamos coisas que deveriam ser feitas de imediato? 

Pesquiso na internet e "descubro" que a procrastinação ou protelação não é um mal da era contemporânea e muito menos de épocas mais próximas; é um procedimento que acompanha a humanidade desde os primeiros tempos (clique aqui e confira).

A melhor explicação que li está na seguinte frase: 
  • "De forma geral, o cérebro humano “se rende” à procrastinação porque tem preferência pela recompensa imediata. Por isso, tende a lutar com tarefas que prometem vantagens futuras em troca de esforços no presente. Isso porque é mais fácil para nossos cérebros processarem coisas concretas em vez de abstratas, e o incômodo imediato é muito tangível em comparação com aqueles irreconhecíveis e incertos benefícios futuros”, explica a especialista Caroline Webb em artigo da Harvard Business Review.
Não vou me estender na apresentação do artigo (abaixo) que trago à Oficina de Gerência, transcrito da revista Forbes para os leitores e visitantes do blog.  Tanto o artigo acima indicado da Harvard Business Review (que pode ser traduzido em link no próprio texto e que também recomendo  fortemente a leitura àqueles interessados no tema), quanto os demais intens que foram objetos das minhas leituras, contêm um ponto comum. 

Este prisma observado pode ser resumido no texto que a Dra. Caroline Webb aborda em seu artigo (link citado acima) para a Harvard Review:
  • O problema é que nossos cérebros são programados para procrastinarEm geral, todos nós tendemos a lutar com tarefas que prometem futuras vantagens em troca de esforços que tomamos agora. Isso porque é mais fácil para nossos cérebros processar o que seja concreto em vez de coisas abstratas; e o incômodo imediato é muito tangível em comparação com aqueles benefícios futuros incognoscíveis e incertos. Portanto, o esforço de curto prazo domina facilmente o lado positivo de longo prazo em nossas mentes — um exemplo de algo que os cientistas comportamentais chamam viés presente.
Eu não conhecia essa abordagem e achei interessantíssima. O que quero ressaltar é que a procrastinação, embora o seu caráter de "coisa de humanos" e até, para alguns, um defeito de comportamento ou mau hábito, na verdade é um procedimento que tem a tutela de nossos cérebros, com componentes genéticos, hereditários e até involuntários. 

Acho importante que todos tenhamos essas noções para desencadear uma busca pelas correções. Sim! Há formas de minimizar a procrastinação em cada um de nós. O primeiro passo é reconhecê-la como algo que não é plenamente pessoal. Não é preguiça, desinteresse ou algo do gênero. Há formas de atenuar, diminuir e até anular; e em casos mais simples, um autotratamento.

É isso que os artigos apresentados, o da Forbes (abaixo) e o da Harvard Business Review (pelo link), trazem aos interessados. Dado que a protelação pode atrapalhar muito a vida das pessoas, em geral e daqueles que dependem de tarefas e tempo para executá-las ou decidirem, acho que vale a pena conhecê-los e se necessário pesquisar mais  ainda na internet (clique aqui)

Boas leituras.


Clique aqui e conheça a website


"Procrastinação" tem recorde de buscas no Google: veja como lidar com a sua


Procrastinação pode ser combatida, na maioria das vezes, com algumas estratégias de mudança de hábito

No Brasil, as buscas sobre o assunto aumentaram 90% em relação aos últimos cinco anos. Se você tem procrastinado demais, indicamos alguns passos para reduzir o problema

O mundo está pesquisando como nunca pela palavra “procrastinação”, de acordo com dados do Google Trends de 1º de janeiro a 17 de maio. Os brasileiros não fogem da tendência: as pesquisas sobre o tema subiram 90% nos últimos cinco anos.

Junto dela, outros assuntos relacionados que também cresceram nas pesquisas na ferramenta de busca incluem “foco“, “TDAH (Transtorno de Déficit de Atenção e Hiperatividade)” e “preguiça”. Não que o transtorno tenha a ver com a procrastinação ou a preguiça pura e simples, mas talvez os usuários imaginem que a dificuldade de focar ou concluir tarefas podem indicar uma condição mental e não apenas um hábito ruim.

Veja, a seguir, as principais perguntas feitas ao Google sobre o tema:

O que é procrastinação?

Como parar de procrastinar?

O que é uma pessoa procrastinadora?

O que fazer para não procrastinar?

Procrastinar pode ser doença?

Apesar do hábito de adiar responsabilidades e tarefas a serem feitas poder ser adquirido por qualquer pessoa, ele pode indicar a existência de problemas de saúde mental – casos nos quais o indicado é buscar um médico. Com exceção a isso, há formas de combater a tendência de procrastinar. Confira:

 

7 passos para combater a procrastinação e produzir mais:


 1] Mude a sua perspectiva: Em vez de pensar negativamente sobre a temida tarefa do trabalho que deve ser feita, pense nos benefícios a longo prazo da conclusão dela. Quando um projeto parece uma luta difícil, concentre-se nos aspectos positivos de terminá-lo antes do fim de semana para poder aproveitar os dias de folga. Na verdade, considerar os benefícios a longo prazo o aproxima mais ainda da linha de chegada.

2] Evite rotular a si mesmo: Chamar a si mesmo de procrastinador lhe dá permissão implícita para agir como uma pessoa digna desse rótulo e você repete o hábito de adiar tarefas. Aprender a pensar na sua procrastinação como uma parte de você, e não como você, referindo-se a ela na terceira pessoa como “ela”, separando você dela. Ao observar essa parte com um olhar imparcial, você diminui a crítica a si mesmo. Assim, a procrastinação não domina mais suas decisões, e você terá uma maior capacidade de superar os obstáculos.


 3) Diminua suas “obrigações mentais”: Se você é como a maioria das pessoas, tem uma voz implacável em sua cabeça, atormentando você com palavras opressivas, como “devo”, “deveria”, “preciso” e “tenho que” – como “Eu devo ganhar”, “Eu tenho que fechar esse negócio”, “Eu tenho que conseguir essa promoção”, “Esse projeto deve ser perfeito”. Ceder à linguagem opressiva alimenta o medo e a procrastinação. Substituir essa pressão por uma linguagem que reflete escolha, como “eu posso”, “eu tenho a oportunidade de”, “eu quero” ou “eu planejo”, liberta você das correntes do medo e da procrastinação, permitindo que você siga em frente com a tarefa.


4] Controle seu perfeccionismo: Ser muito perfeccionista faz com que você estabeleça metas irreais, se esforce demais e evite a meta impossível que você mesmo estabeleceu. Expectativas inalcançáveis fazem você enxergar falhas até mesmo em suas conquistas. Você é menos propenso a procrastinar quando vê as metas como realizáveis e alcançáveis. Permitir-se realizar uma tarefa de forma imperfeita engana o cérebro emocional e reduz qualquer resistência para completar a tarefa. Quando você se permite cometer um erro, o produto final geralmente fica melhor do que você imaginava


5] Estabeleça prioridades: Escolher um item da sua lista de tarefas que você possa realizar rapidamente e completá-lo pode dar um impulso inicial e aliviar o fardo da procrastinação. Você pode enfrentar seus compromissos de frente e cedo, em vez de esperar até o último minuto. Se você tem várias coisas em sua lista, pode distinguir entre o essencial e o não essencial e trabalhar nas tarefas que precisam ser concluídas imediatamente, uma de cada vez.


6] Dê pequenos passos: Dividir o projeto de trabalho em blocos de tempo curtos, de cinco minutos, evita que você se sinta sobrecarregado pela quantidade de coisa a ser feita. Estudos mostram que dar pequenos passos ajuda você a perceber que a tarefa não é tão difícil como você pensava, permitindo que você supere a procrastinação e avance para completar a tarefa. Embora dar o primeiro passo possa ser o mais difícil, uma vez que você começa, fica mais fácil de desenvolver o resto.


7] Dê recompensas a si mesmo depois de terminar a tarefa: Seu cérebro está programado para buscar prazer e evitar dor e, por isso, adora uma recompensa. Depois de concluir uma pequena parte de uma tarefa – não antes de concluí-la – dê a si mesmo uma recompensa. Em vez de assistir ao seu programa de televisão favorito antes de terminar uma parte da tarefa, planeje assistir depois de terminar uma parte dela. Essa abordagem aumenta sua motivação para que você possa aproveitar uma de suas atividades favoritas depois.


Para conhecer o artigo no próprio site da Forbes clique aqui.

Photobucket - Video and Image Hosting

sábado, 24 de junho de 2023

Listas de Habilidades (Skils) são... "Receitas de Bolo"? O que você acha?

 



💥💥💥

Discordo de artigos como este abaixo; mas resolvi trazê-lo ao blog para ilustrar um fator importante para quem queira seguir uma carreira de executivo. Discordo, em parte, porque acho superficiais essas listas de dicas e conselhos. Chamo de "receitas de bolo" tudo que possa ser considerado um menu de temas de habilidades (o nome da moda é "skills") para as carreiras profissionais nas selvas corporativas. 

Diversos autores de livros, palestrantes e personalidades desse universo vivem (literalmente) de produzir esses muitos "inventários" de autoajuda para quem queira ser chefe, ser líder, ser presidente... ser qualquer coisa. É uma profusão dessas... "receitas de tudo". 

Só para testar, fiz uma consulta no Google com o título "Listas de Habilidades Profissionais" e foram apontados nada mais, nada menos que, aproximadamente, 14.900.000 resultados (!!!). Que tal?

Vejam algumas dessas listas (clique nos links)

Longe de mim detratar esse ramo de atividade. Têm sua utilidade. Faço a crítica no sentido de destacar a vulgarização e superficialidade com as quais são apresentadas essas listas. 

Quando vejo esses "catálogos" de tantas habilidades que as pessoas devem possuir para obter sucesso em suas profissões ou seus objetivos fico aturdido. Também as chamos de "dicas para um superman profissional". Só um personagem dos "Vingadores" conseguirá cumprir todos os itens de uma listagem dessas.

Já frequentei muito essas listagens. Já segui muitos dos seus "conselhos" e não nego que me ajudaram bastante no início da carreira. Seja assim, faça isso e aquilo, não faça, não seja... Reconheço que têm sua utilidade, no sentido de uma identificação e auto reflexão dirigidas àqueles pontos específicos, mas são "facas de dois gumes". Podem ajudar, mas podem também, limitar as pretensões dos iniciantes na  formula 1 do mundo corporativo... e da vida.

Hoje, estão na moda as '"skills". Sabem qual é a tradução de skills? Simplesmente, habilidades, ou as "aptidões, o jeito e a destreza aplicados por cada pessoa em determinada tarefa" (Wikipédia). E aí virou febre. 

Passou-se a colocar nos currículos as "skills" que cada um acha deter em seu comportamento e/ou atitudes. E daí surgiram as "soft skills" e as "hard skills"*Enfim, é o que eu chamo de "dar nomes novos a coisas velhas". O ganho disso tudo, reconheço, é que as habilidades pessoais passaram a ser consideradas nos currículos, o que antes não o eram. 

Há vantagens nisso e há riscos também. As declarações em currículos são compromissos formais que devem ser atestados e as "skills softs ou hards" são pontos subjetivos e pessoais que só serão atestados na prática profissional. Imaginem alguém afirmar em currículo que tem liderança ou inteligência emocional? Como comprovar essas habilidades?

Todavia apresento uma dessas listagens. Artigo do Estadão, da sua seção "Carreiras". Gostei do título (abaixo), da abordagem e do texto curtinho e objetivo. Vale a leitura e as autoanálises que cada leitor fará de suas... skills para verificar se as tem para pleitear uma carreira de comando em sua empresa. Bom proveito.

* Clique aqui também para conhecer um pouco mais sobre as diferenças entre umas e outras.

💥💥💥

Segundo especialista, pequenas ações no dia a dia ajudam na construção da sua reputação como um futuro líder. Foto: wocintechchat/unsplash

Você quer crescer na carreira e assumir um cargo de chefe no trabalho? Ninguém nasce pronto para isso, mas é possível aprender e aprimorar as habilidades necessárias para se tornar um bom líder. Embora algumas pessoas tenham traços de personalidade que facilitem o desenvolvimento dessas competências essenciais, o verdadeiro potencial de liderança está na capacidade de aprender, adaptar-se e estar sempre atento às mudanças do mundo.

Bruno Andrade, especialista em Liderança e Comportamento Organizacional, diz que independentemente de suas características iniciais, é possível desenvolver suas habilidades de gestão, comunicação e delegação de tarefas por meio de preparação adequada e adoção de uma abordagem estratégica desde cedo.

Em entrevista ao Estadão, o professor da Saint Paul Escola de Negócios, compartilha quatro passos para aprimorar suas habilidades e criar um plano de desenvolvimento.

Confira como ser promovido e se tornar um executivo de destaque:

1. Escolha líderes de referência que o inspirem

Analise em profundidade o que eles fazem de diferente e por que são considerados bons líderes. Pense em quais líderes você admira e o que eles fazem de forma distinta que chama sua atenção.

Essa é a primeira pista para identificar características como a habilidade de comunicação, tratamento humano com as pessoas, seriedade e firmeza combinadas com empatia.

Isso pode servir como um indicativo dos pontos que você estabelece como metas de desenvolvimento, explica Andrade.

2. Encontre um mentor

Outra dica importante é buscar um mentor ou mentora. Existem muitas pessoas disponíveis que desejam ajudar aqueles que estão em processo de desenvolvimento profissional, então não hesite em pedir ajuda.

Se você não tiver acesso a alguém da lista de líderes que deseja, pode pensar em alguém do seu cotidiano que o auxilie no seu crescimento. Essa pessoa deve ter experiência e ser uma rede de apoio para você tirar suas dúvidas e se desenvolver.

3. Busque uma formação

Busque uma formação em liderança. “Você não precisa esperar se tornar um líder para começar a adquirir conhecimentos sobre o tema”, recomenda o professor.Com o ensino a distância, existem diversas opções de cursos e programas de pós-graduação disponíveis, tanto de curta duração como mais abrangentes, focados em gestão e aspectos mais técnicos.

Esses cursos o ajudam a identificar o seu estilo de liderança e trazem mais conhecimento técnico para quem quer comandar equipes.

4. Não espere conquistar a medalha sem percorrer a maratona

Na maior parte das vezes, as pessoas reconhecidas como líderes já demonstram traços e comportamentos de liderança em seu dia a dia no trabalho. Eles colaboram com diferentes áreas, influenciam informalmente as pessoas ao seu redor e são conscientes do impacto que causam.

Essas pessoas se preocupam com a mensagem que estão transmitindo e frequentemente demonstram interesse por atividades além das suas responsabilidades operacionais.

De acordo com Andrade, são elementos do seu dia a dia que caracterizam uma pessoa com perfil de liderança.

“Quando você olha além do seu trabalho, sabe colaborar e participa ativa e espontaneamente de atividades importantes da empresa, tudo isso vai contar para sua reputação como um futuro líder”, conclui.

 Clique aqui se desejar conhecer o artigo no site de origem.


Procura-se uma profissão (Teste Vocacional - Revista Veja)


http://iurfeg.blu.livefilestore.com/y1poc8ZPE5giLAoeSoC5IpIl0i8iXHx1kD0hUsExBaNoOMSskJi6shBeeHl_phfJo13j6rd17ykQfpvNymHfy-2Vg

Procura-se uma profissão



Até há alguns anos, todo estudante que batesse à porta de um escritório de orientação vocacional, com o objetivo de descobrir a profissão que deveria seguir, sairia de lá com uma resposta debaixo do braço. Bastava preencher um teste de múltipla escolha para que, com base nele, um psicólogo lhe desse o veredicto: quase sempre uma profissão associada aos hobbies ou interesses por ele declarados. Atualmente, o processo é um pouco mais demorado – e menos superficial também. "Hoje, levamos em conta o cruzamento de interesses e a personalidade do jovem", diz a psicóloga Rosane Levenfus.

Os serviços de orientação vocacional – oferecidos por institutos, clínicas psicológicas e departamentos de psicologia de universidades – podem levar de um a dois meses e ser prestados individualmente ou para mais de um cliente ao mesmo tempo. Na maior parte das vezes, incluem avaliações psicológicas, estudo de carreiras e de mercado de trabalho, discussões sobre expectativas pessoais e dinâmicas de grupo (que, neste caso, têm por objetivo principal fazer o estudante se conhecer melhor). Os preços variam de 400 a 1 200 reais. Alguns departamentos de psicologia prestam o serviço de graça ou mediante o pagamento de uma taxa mínima.

Ao contrário do que ocorria no passado, porém, o estudante sai de lá com uma lista com diversas opções de carreira – cuja natureza e perspectivas ele agora conhece – que podem combinar com seus desejos e seu temperamento. Como diz o pedagogo Silvio Bock: "Antigamente, o orientador apontava um caminho. Hoje, ele ajuda o jovem a encontrá-lo". E, para isso, o melhor mapa é o autoconhecimento.
Fonte: "Você no Mercado de Trabalho", estudo da FGV

Meus gostos, meu futuro

Para saber quais são as áreas e profissões mais afins à sua personalidade, atribua pontos a cada uma das alternativas apresentadas nas vinte perguntas a seguir: 3 para a alternativa com a qual você mais se identifica, 2 para aquela que tem a ver com você, 1 para a que tem um pouco a ver com você e 0 para aquela que nada tem a ver com você. Se ficar em dúvida, não responda

1 Na escola, você prefere/preferia assuntos ligados a
a) arte, esportes e atividades extracurriculares
3
2
1
0
b) biologia e genética
3
2
1
0
c) ciências humanas, idiomas
3
2
1
0
d) ciências exatas
3
2
1
0

2 Você prefere levar sua vida

a) com pouca rotina e poucas regras
3
2
1
0
b) com regras definidas e disciplina
3
2
1
0
c) interagindo com todo tipo de pessoa
3
2
1
0
d) com muita autonomia: "na sua"
3
2
1
0

3 Você se descreveria como uma pessoa
a) impulsiva e um tanto aventureira
3
2
1
0
b) cautelosa e responsável
3
2
1
0
c) entusiasmada e muito amiga
3
2
1
0
d) calma e diferente da maioria
3
2
1
0

4 Você se considera uma pessoa
a) prática e hábil para improvisar
3
2
1
0
b) batalhadora, que sabe o que quer
3
2
1
0
c) preocupada com questões humanas
3
2
1
0
d) capacitada para criar e inventar
3
2
1
0

5 De quais características suas você sente orgulho:
a) audácia e facilidade para lidar com o inesperado
3
2
1
0
b) senso de dever e capacidade de dar exemplo
3
2
1
0
c) idealismo e disposição para compreender os outros
3
2
1
0
d) engenhosidade e rapidez mental
3
2
1
0

6 Costuma confiar mais em




a) percepção imediata
3
2
1
0
b) costumes e tradições
3
2
1
0
c) intuição
3
2
1
0
d) razão e lógica
3
2
1
0

7 Quase sempre, você gosta de




a) causar impacto: os "holofotes" o atraem
3
2
1
0
b) ser visto como membro valioso de um grupo
3
2
1
0
c) sonhar em transformar o mundo
3
2
1
0
d) desvendar um enigma ou inventar algo útil
3
2
1
0

8 A vida é mais interessante quando você tem
a) desafios, situações cambiantes
3
2
1
0
b) segurança, emprego garantido, integração social
3
2
1
0
c) possibilidade de fazer algo para mudar o mundo
3
2
1
0
d) possibilidade de ir além do que já é conhecido
3
2
1
0

9 Você gostaria de ser




a) um craque na profissão que escolher
3
2
1
0
b) um executivo bem-sucedido  
3
2
1
0
c) um profissional de prestígio
3
2
1
0
d) um especialista ou cientista
3
2
1
0

10 Você é muito bom (boa) lidando com
a) ferramentas, instrumentos e equipamentos
3
2
1
0
b) controle do tempo, comando e execução
3
2
1
0
c) pessoas de todos os níveis culturais e sociais
3
2
1
0
d) sistemas e construção (material ou mental)
3
2
1
0

11 Antes de agir, você analisa
a) as vantagens imediatas
3
2
1
0
b) as experiências já vividas
3
2
1
0
c) as possibilidades futuras
3
2
1
0
d) as condições e consequências
3
2
1
0

12 Gosta quando as pessoas
a) o surpreendem com um presente
3
2
1
0
b) expressam gratidão por algo que fez
3
2
1
0
c) reconhecem sua personalidade singular
3
2
1
0
d) reconhecem sua inteligência
3
2
1
0

13 Você costuma abraçar um novo projeto
a) com a cara e a coragem
3
2
1
0
b) guiado pela experiência
3
2
1
0
c) confiando na intuição e na criatividade
3
2
1
0
d) depois de verificar todas as variáveis
3
2
1
0

14 Geralmente, você prefere agir
a) no calor do momento
3
2
1
0
b) com segurança e conforme o costume
3
2
1
0
c) quando está inspirado
3
2
1
0
d) quando um problema o desafia
3
2
1
0

15 Você fica motivado(a) quando
a) tem a oportunidade de superar obstáculos
3
2
1
0
b) experimenta estabilidade na vida profissional, ou seja, sabe em que terreno está pisando
3
2
1
0
c) harmonia e inspiração guiam a atividade
3
2
1
0
d) há liberdade para projetar o futuro
3
2
1
0

16 Em atividades de grupo, você prefere
a) as desafiadoras, que exigem ação rápida
3
2
1
0
b) administrar os recursos disponíveis
3
2
1
0
c) motivar as pessoas para darem o melhor de si
3
2
1
0
d) descartar logo o que não funciona
3
2
1
0

17 Liderar é uma atividade que gosta de exercer
a) por pouco tempo e dependendo da situação
3
2
1
0
b) quando pode comandar do começo ao fim
3
2
1
0
c) quando é preciso identificar e reunir talentos
3
2
1
0
d) quando o raciocínio estratégico é necessário
3
2
1
0

18 Em uma escola, você gostaria de ser
a) professor de educação física
3
2
1
0
b) diretor
3
2
1
0
c) professor de literatura
3
2
1
0
d) professor de matemática ou física
3
2
1
0

19 É um elogio quando se referem a você como
a) corajoso, otimista e divertido
3
2
1
0
b) cauteloso, responsável e aplicado
3
2
1
0
c) harmonizador, íntegro  e sábio
3
2
1
0
d) uma mente brilhante
3
2
1
0

20 Frases que têm a ver com você:
a) "Deixo a vida me levar..."
3
2
1
0
b) "Manda quem pode; obedece quem tem juízo"
3
2
1
0
c) "Para seu próprio interesse, seja verdadeiro"
3
2
1
0
d) "Penso, logo existo"
3
2
1
0

Total

A
B
C
D












Maior pontuação em A
A principal característica dos tipos A é o movimento. Gostam de ação e de novidades. Apresentam destreza física e boa expressão corporal. Se forem mais propensos ao raciocínio lógico, terão mais êxito em profissões que requeiram precisão e acuidade. Se forem mais inclinados ao sentimento e à emoção, as profissões relacionadas ao trato com pessoas são as mais indicadas. Pessoas do tipo A não gostam de rotina e veem o trabalho como uma grande fonte de prazer.
 
Carreiras mais apropriadas
• Esportista
• Anestesista
• Artista plástico
• Ator
• Chef de cozinha
• Cineasta
• Cirurgião
• Coreógrafo
• Dançarino
• Dermatologista
• Estilista
• Fotógrafo
• Guia de turismo
• Instrumentador cirúrgico
• Instrutor de voo
• Jornalista
• Médico clínico
• Músico (compositor ou instrumentista)
• Paisagista
• Personal trainer
• Personal stylist
• Piloto
• Publicitário
• Relações-públicas
• Roteirista

Maior pontuação em B
Comando e responsabilidade são duas palavras que definem as pessoas do tipo B. Elas gostam de lidar com fatos, quantidades, análises, organização e planejamento. Trabalham duro e preferem profissões que lhes proporcionem status e possibilidade de crescimento. São as mais presentes no mundo corporativo.

Carreiras mais apropriadas
• Administrador de empresas
• Advogado
• Assistente social
• Bibliotecário
• Delegado
• Engenheiro mecânico/químico
• Juiz de direito
• Pastor/padre/rabino
• Policial
• Promotor público

Maior pontuação em C
Facilmente reconhecíveis por seu entusiasmo e interesse nas relações humanas, as pessoas do tipo C têm na intuição o seu ponto forte. Muitas endereçam seu esforço e talento para o desenvolvimento intelectual de alunos e discípulos e o conforto psicológico de pacientes e colegas de trabalho. No grupo dos tipos C, estão as personalidades mais laureadas com o Nobel da Paz e de Literatura.

Carreiras mais apropriadas
• Artista plástico
• Dramaturgo
• Educador
• Escritor
• Filósofo
• Jornalista
• Pedagogo
• Professor
• Psicólogo
• Psiquiatra
• Sociólogo
• Terapeuta ocupacional
• Tradutor

Maior pontuação em D
São intuitivos como os C, mas, em vez de se preocupar com pessoas, costumam focar seus interesses em grandes áreas do conhecimento, como ciência e tecnologia. Apresentam notável capacidade para identificar problemas concretos e resolvê-los, bem como para o raciocínio abstrato.

Carreiras mais apropriadas
• Analista de sistemas
• Antropólogo
• Arquiteto
• Astrônomo
• Criador de software
• Designer industrial
• Economista
• Engenheiro
• Físico
• Líder de uma corporação (CEO)
• Matemático
• Militar
• Oceanógrafo
• Pesquisador
• Químico
• Músico (regente de orquestra)
• Urbanista
• Zoólogo

* Teste desenvolvido pela pedagoga Maria da Luz Calegari


purple and green animated horizontal line