29 DE FEVEREIRO DE 2024 - 5ª FEIRA

FRASE DO DIA

FRASE DO DIA

FRASE COM AUTOR

FRASE COM AUTOR
Pensamentos Maçônicos

quarta-feira, 3 de maio de 2023

Derrota do Vasco para o Bahia decepciona, mas faz parte...


Terceiro jogo do Vasco no Brasileirão e a primeira derrota. Perdeu do Bahia por 1 a 0. 

Leio as repercussões na mídia esportiva e  concordo com umas e nem tanto com outras. Na minha opinião de torcedor consciente achei o resultado normal. Frustrante sim, mas normal.

O Vasco, após uma vitória imprevista sobre o Atlético-MG fora de casa e um empate surpreendente com o Palmeiras, criou uma expectativa (falsa positiva) na torcida apaixonada. 

Vi o jogo com o Bahia e a vitória do tricolor baiano foi justa. Resistiu bem a um Vasco de melhor volume no 1º tempo e foi melhor, muito melhor no segundo tempo. O Vasco, nessa etapa não acertou nada.

O grupo do Vasco não teve nem força e nem resolução para superar a determinação do Bahia. Futebol (e esporte coletivo) é assim mesmo. Depende muito mais de fatores subjetivos "do que sonha nossa vã filosofia".

Como explicar as variações - entre uma disputa e outra - das emoções, temperamentos, performances e comportamentos de um grupo heterogêneo de homens, atletas, que, por profissão, têm de alcançar, como profissionais, resultados positivos seguidos e sob constante fiscalização de todo um sistema movido a paixões? 

Vamos convir que é muita coisa que essas pessoas têm que controlar em suas vidas. Penso assim: um percalço, uma frustração aqui e ali, em meio a esse turbilhão de fatores para administrar emocionalmente é mais que aceitável.

Não vou dissertar aqui sobre essas questões que vão além do objetivo desta postagem. Digo que a derrota do Vasco foi normal. Eu que acompanho essa nova etapa do clube de muito pertinho, não vi, por exemplo, aquela alegria do elenco, de jogar nos primeiros três jogos dessa formação administrada pela "777 Partners". Havia um certo "ar juvenil" naqueles atletas. Inclusive do técnico, jovem também.

Léo Jardim, tem sido o destaque do time vascaíno.

A desclassificação contra o ABC, na Copa Brasil, já foi um sinal da instabilidade emocional do elenco. Ali, o time já entrou "se achando"  e subestimou o time do Rio Grande do Norte. Foi justamente derrotado. Faltou maturidade.

Por estes e outros motivos deixo de citar, para não estender o texto, que considero ter o Vasco tropeçado em suas proprias pernas, nessa derrota para o Bahia. E vai tropicar de novo algumas vezes. É bom a torcida não ficar pensando que vai ficar no G4. Não vai.  Se fizer pressão vai atrapalhar o projeto de voltar o Vasco para seu devido lugar. Não existe mágica na formação de coletivos. Se ficar na Sul-Americana será um enorme bônus para esta temporada.

É um bom elenco e vai dar alegrias à torcida, não tenho dúvidas, todavia ainda está longe de chegar ao equilíbrio que diferencia um bando, de um grupo e de uma equipe. Por enquanto, classifico o Vasco como um bando, que está caminhando (e bem) para a formação de um bom grupo. Entretanto, para chegar a um nível de equipe, ainda vai demorar. Para começo de conversa está faltando uma liderança verdadeira dentro de campo.

Próximo jogo do Vasco será contra o Fluminense, que considero como o melhor exemplo, no futebol brasileiro, de um grupo que está muito próximo de poder ser chamado de equipe. Está dando prazer de ver o Fluminense jogar. Ontem mesmo (2/maio) sapecou 5 a 1 no River Plate que é, simplesmente, o líder do campeonato argentino.

Qual o Vasco da Gama que vamos ver no seu próximo jogo? 






 

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Convido você, caro leitor, a se manifestar sobre os assuntos postados na Oficina de Gerência. Sua participação me incentiva e provoca. Obrigado.