15/10 - DIA DO PROFESSOR

15/10 -  DIA DO PROFESSOR
O Dia dos Professores é comemorado no Brasil anualmente em 15 de outubro. A data foi criada para homenagear esses profissionais que dedicam suas vidas à transmissão do conhecimento e ao desenvolvimento da educação no nosso país. Trata-se de um feriado escolar e não faz parte do calendário oficial como feriado nacional ou ponto facultativo. Portanto, é prerrogativa das escolas não ofertarem aula neste dia. O dia 15 de outubro foi escolhido para comemorar o dia do professor, pois em 15 de outubro de 1827, Dom Pedro I, Imperador do Brasil, decretou uma Lei Imperial responsável pela criação do Ensino Elementar no Brasil (do qual chamou “Escola de Primeiras Letras”), e através deste decreto todas as cidades deveriam ter suas escolas de primeiro grau. A comemoração começou em São Paulo, onde quatro professores tiveram a ideia de organizar um dia de parada para celebrar esta data, e também traçar novos rumos para o próximo ano. Esta data foi oficializada nacionalmente como feriado escolar através do Decreto Federal nº 52.682, de 14 de outubro de 1963. O Decreto define a razão do feriado: "Para comemorar condignamente o Dia dos Professores, os estabelecimentos de ensino farão promover solenidades, em que se enalteça a função do mestre na sociedade moderna, fazendo participar os alunos e as famílias". A nível internacional, o Dia Mundial dos Professores é celebrado anualmente em 5 de outubro.

segunda-feira, junho 04, 2012

Brasília é também capital brasileira do basquetebol

http://www.guilhermegiovannoni.com.br/images/stories/2012_placarcamp_gg.png
O lobo-guará é a mascote do clube

Se há algo que os brasilienses amam unanimemente é o time de basquetebol de Brasília oficialmente chamado de UNICEUB/BRB. Mais uma vez - terceira - o grupo conquistou o título brasileiro do NBB - Novo Basquete Brasil. A rapaziada comandada pelo técnico José Carlos Vidal é tricampeã (consecutivo) consolidando-se como a melhor equipe do basquetebol brasileiro desde o advento do NBB que recolocou o basquete no pódio dos esportes de massa em nosso país.
A vitória do Brasília sobre o time de São José dos Campos, lá em São Paulo (Mogi das Cruzes) foi arrasadora e incontestável. Não tomou conhecimento do adversário que tinha simplesmente a melhor campanha da temporada. Valeram a experiência do grupo de Brasília que disputava a sua quarta final do NBB; perdeu a primeira para o Flamengo e depois ganhou as seguintes ocupando desde 2009 a posição mais alta do pódio no basquetebol brasileiro. É um feito monumental considerando-se o nível das equipes que disputam o torneio e a quantidade de jogos que cada time tem que disputar para chegar à final.
Deixo os detalhes do jogo para os especialistas (clique aqui). Os jornais estão destacando o atleta Guilherme Giovanoni como a grande estrela do time, mas não é bem assim. Ele é um atleta sensacional, todavia o grande segredo do Brasília é o seu conjunto, o grupo que joga junto há muito tempo e tem na garra e na experiência seus pontos altos. 
Sou suspeito para destacar os atletas. Há alguns atrás fui diretor - por poucos meses - da Federação Brasiliense de Basquetebol quando meu filho mais jovem disputava campeonatos desde a categoria infantil até o time adulto do Clube Vizinhança (tradicional clube de Brasília). Da sua turma de companheiros os atletas Arthur e Rossi estão no atual time campeão sem falar no técnico José Carlos Vidal que foi seu treinador. 
O Arthur (ele e meu filho ainda são bons amigos) que é um jovem  eu conheço desde a idade infantil - com mais ou menos 10 anos de idade - acompanhei e acompanho toda a sua trajetória vencedora. Eu e o pai do Arthur éramos o que se denominava de "pais atletas" ou "paitrocinadores". Estávamos sempre lá nas arquibancadas junto com os outros pais tietando nossos filhos. O Arthur sempre foi um destaque em todas as categorias pelas quais passou e ao vê-lo jogando com máximo brilho nesse time campeão sinto um imenso orgulho como se ele também fosse meu filho. Por isso sou suspeito para dar um destaque a qualquer outro atleta. 
 http://lnb.com.br/wp-content/uploads/2012/06/DSC_5739-640x426.jpg
Nessa homenagem que faço ao Brasília em meu blog prefiro destacar o técnico José Carlos Vidal, Zé Carlos para quem o conhece de perto. Alguém que ame mais o basquete, que estude mais basquetebol e respire mais o esporte do que ele ainda está para nascer. Zé Carlos tem no basquetebol a sua vida, é o seu oxigênio. Respeitado como poucos no meio do esporte vê o seu esforço ser reconhecido nacionalmente agora que é bicampeão brasileiro. E conhecendo um pouco como conheço de liderança digo que não é para qualquer um comandar um grupo de atletas como esse do Brasília.
Esses jovens deram uma enorme contribuição à autoestima da cidade, tão combalida pelo envolvimento (injusto) do seu nome com as mazelas da política e com a inexistência de clubes de destaque em outros esportes como o futebol e o voleibol. Eles são com todo o mérito um orgulho para os brasilienses que amam o esporte.

http://upload.wikimedia.org/wikipedia/pt/1/19/Uniceubbrbbrasilia.jpg

http://lnb.com.br/wp-content/uploads/2012/06/DSC_5846-640x426.jpg

http://blu.stb.s-msn.com/i/B1/F8EBCF2A17E12CBD8254552C5DC3.jpg

http://lnb.com.br/wp-content/uploads/2012/06/DSC_1375-660x439.jpg
Arthur, Cipriano e Alex.
http://lnb.com.br/wp-content/uploads/2012/06/DSC_5577-640x426.jpg

Nenhum comentário:

Postar um comentário